Um lugar bonito e aprazível e um monumento estranho em Campinas

15/07/2012


Manumentos Campinas 015

Upload feito originalmente por Jornal do Porão


Manumentos Campinas 011

Upload feito originalmente por Jornal do Porão


Manumentos Campinas 009

Upload feito originalmente por Jornal do Porão

Fica ao final da Rua 13 de maio. Não há qualquer monumento ao fim da escravidão.(Vou voltar para ver direito). Parece que para os poderesos de Campinas o nome da rua já foi o suficiente – uns deviam achar inclusive excessivo e incoveniente. Nesta pracinha, em frente à Estação Cultura há este monumento estranho. Quem esculpiu ou erigiu(pois é de cimento) não há qualquer inscrição. A Pracinha fica bem do lado do terminal Miguel Vicente Cury. Não anotei o nome. Ali, como vê-se na foto, fica o hotel das putas e os barzinhos. Um atmosfera quase de velho oeste americano. Os predinhos são bonitos e as cores são ótimas. ****************************************************************************************Se Se quiser ter acesso ao album flickr “Monumentos de Campinas I” é só clicar sobre estas três primeiras fotos. Terá acesso a outros albuns também.
. Mereceria, acho um tombamento, e uma proteção às putas. A chamada Estação Cultura, agora tão morta neste governo do Dr. Hélio, mas aquele pedacinho ali em frente a ela é bem vivo, principalmente em dias de semana (o que não foi o caso desta foto). Fotografar as putas durante o dia o que já tentei e fui mais ou menos dissuadido a deixar prá lá. O Dr. Hélio queria acabar os bares, hotéis e as putas. Este moralismo limpinho e fascista.

MAIS LIDOS DE 2011
Até esta data, 03/05/2012, foram 68 consultas.


Campinas tem monumentos importantes?

14/07/2012

Campinas tem alguma importancia cultural? O povo de Campinas de algum acesso a objetos, eventos, arquitetura, espaços ou qualquer movimento cultural?
Quem se importa com isso?
Ao clicar sobre estas primeiras fotos terá acesso ao album completo “Monumentos de Campinas I” e outros albuns.


Manumentos Campinas 056

Upload feito originalmente por Jornal do Porão




Manumentos Campinas 049

Upload feito originalmente por Jornal do Porão




Manumentos Campinas 033

Upload feito originalmente por Jornal do Porão

A Unicamp fecha e apodrece à noite, nem mesmo ensino noturno tem que não seja umas migalhinhas. Imensos prédios públicos na escuridão e fomentando a ingnorância. Isso mesmo, é uma espécie de elemento provocador da ignorância, pois se aqueles monstrengos de prédios, dinheiro do público, repito do público, ali sem qualquer utilidade. É um acinte. É um dizer brutal de que “temos prédios, instalações, máquinas, equipamentos, mas os pobres é que se fodam”. O próprio movimento estudantil não fala nisso. Os “donos” dessa “universidade pública” chamada Unicamp, são patrocinadores da ignorância e da exclusão de negros e pobres.
E a prefeitura de Campinas, esta do fantasioso e eficiente slogan “primeiro os que mais precisam” não propõe nada no setor cultura. As titicas que existiam, como a Estão Cultura, está paralisada, semimorta. As atividades de rua, miseráveis atividades do governo anterior, foram extintas.
E continuo a falar dos monumentos, praças e ruas. O prefeito do “primeiro os que mais precisam” deixa, como seus antecessores deixaram, os trabalhadores serem ofendidos com um nome numa “praça” que não existe. Um canteiro debaixo de um viaduto na Barão de Itapura. Ofendem Tim Maia. Tentam humilhar Noel Rosa que para alguns, como eu, é o maior e mais inventivo compositor popular brasileiro. Um gênio da música e do humor.

Este prefeito que nada construiu, em 6 anos, mamando às golfadas no dinheiro farto de Lula, não só não construiu ou iniciou nada importante no terreno cultural, como acabou com algumas pífias iniciativas e aquilo que tem deixa perecer.
É caso do “monumento aos trabalhadores do café” que foi construído em 1927, pelo bi-centenária da introdução do café no Brasil. Não qualquer placa identificando o escultor. Não há qualquer discussão sobre a importância deste monumento. E até a cerquinha para protegê-lo está toda danificada. E agora a perigosa fiqueira cresce nos vãos e rachaduras ponde em perigo o próprio suporte do monumento.
Como este monumento aos “trabalhadores do café” narra a saga protagonizada por imigrantes europeus, negros e mulheres, o prefeito do “primeiro os que mais precisam” aproveita para continuar ofendendo imigrantes pobres, negros e mulheres, ou seja, a maioria que construiu Campinas e este país.

“A data aceita pela maioria dos historiadores como sendo a da fundação de Campinas é 14 de julho de 1794, quando da inauguração da tosca capela, coberta de sapé, no local onde hoje se situa o monumento de Carlos Gomes, no centro da cidade.” http://pedrobondaczuk.blogspot.com.br/2007/07/fundao-de-campinas.html

MAIS LIDOS DE 2011
Até esta data, 03/05/2012, foram 112 consultas.


Prefeitura de Campinas presta um desaforo a Tim Maia

17/01/2011


Praça Tim Maia. Este pedacinho sujo de terra. Quase não cabe minha bicicleta. O mais “bonito” que tem ali é Skooby Doo e Salsicha pintados na banquinha de fruta que na verdade vende mesmo é cerveja. Não sei o que Tim Maia bebia, mas sei que ele é o maior cantor “brega” do país. E também do Soul.

Essa pracinha, assim como a minúscula praça Noel Rosa ou a Praça dos Trabalhadores – que nem existe – demonstram como os chamados poderes públicos tratam a cultura do nosso país. Campinas é uma província muito da chumbrega.
“Sebastião Rodrigues Maia nasceu no Rio de Janeiro RJ em 28 de Setembro de 1942.[…]Em 1970 gravou seu primeiro LP, Tim Maia, na Polygram, que permaneceu em primeiro lugar no Rio de Janeiro por 24 semanas. Os principais sucessos desse disco foram Coronel Antônio Bento (Luís Wanderley e João do Vale), Primavera (Cassiano) e Azul da cor do mar.” Informações retiradas de MPBNET

Para o catálogo do descaso e do abandono, dê uma olhada em fotos de um monumento em homenagem aos trabalhdores do café. Não há qualquer placa indicando o autor da obra. A cerquinha em volta do monumento está quebrada. E eu, leigo em arte, achei o monumento de grande expresividade. Confira algumas fotos que fiz do monumento trabalhadores do Café


trabalhadores do café largo do pará (13)

Upload feito originalmente por Jornal do Porão


Fotografar a Prefeitura é crime?

11/07/2010

PRIMEIRO OS QUE MAIS PRECISAM

Este é o slogon, bem bolado para enganar e ganhar eleições do Dr. Hélio, prefeito de Campinas. O que tem a ver estas fotos com esta frase? .

Agora na onda, inclusive patrocinada pelo Governo Lula, de criminalizar os movimentos sociais e as greves, o Prefeito de Campinas manda instalar um paredão de vidro para impedir o livre acesso ao saguão. Dr. Hélio um queridinho de Lula, poderia ser enquadrado como provocador. Instalar ali, num local que conta histórias de lutas pela liberdade, esta cara e onstensiva parede de vidro, para vetar a participação popular, é estar pedindo que os movimentos quando mobilizarem se choquem com estas paredes. Seria bom que o prefeito aprendesse com o que aconteceu na USP, na última greve, que diante de duas portas blindadas, formando uma espécie de fortaleza que não foi suficiente para barrar os servidores públicos que foram jogados na fome pelo desconto de 30 dias nos seus salários.

O slogan “primeiro os que mais precisam”, na verdade é que eles temem os que mais precisam.




criminalização

Upload feito originalmente por Jornal do Porão

Este é o guarda-costas que sob ameças obrigou o fotógrafo a apagar várias fotos, sob a alegação de que não se pode fotografar prédios públicos. Com apoio dos guardas-municipais. Perguntado sobre a lei, ele respondeu que a lei era ele ali. Algum leitor conhece esta lei?

Pergunta a algum arquiteto: estes vidros não alteram a arquitetura do local, já que o saguão é uma passagem?