São Paulo, andanças.

21/02/2011

div style=”float:right;margin-left:10px;margin-bottom:10px;”>


São Paulo andanças 016

Upload feito originalmente por Jornal do Porão

CLICANDO SOBRE A FOTO, ACIMA, TERÁ ACESSO AO ALBUM COMPLETO NO FLICKR.
E este prédio imenso, visto do alto, imponente, que me deixou muito tempo fixado nele, é o prédio da ROTA. Um máquina de fazer cadáveres de pobres e negros.
O outro prédio, pequeno, é o efêmero em São Paulo. Talvez como uma escultura em areia isso desaparecerá. Este andar por São Paulo ainda permite experiências. Mas, provavelmente, pois não vi nenhuma placa de tombamente, isso tudo virará pó. É a “grana que destrói e constrói coisas belas”.
Rua São Caetano, a rua das noivas, mas ali corre o drama da escravização de Bolivianos, Peruanos, Paraguaios, misturando com o comércio iformal e barato dos chineses, com os prédios e apartamentos luxuosos dos comerciantes chineses. Ali corre, quase centro de São Paulo o trabalho de imigrantes ilegais, onde patrões ilegais chineses fazem trabalhar 17 horas por dia, estes latinos ilegais, que nem o sol ou a rua podem ver. Ali a super exploração chega a ser maior que a própria Inglaterra no século XVI ou XVII, como disse numa entrevista o Professor Ricardo Antunes. Ali encena-se o horror com dois ou três séculos de retrocesso. E cadê nossos sindicatos, partidos e governos. Há muita traição e corrupção.
Assim caminha o capitalismo no seu ritmo de destruição. Tudo desmancha no ar. E a carne humana é seu alimento.