Gatinho azul da Liberdade e Luta E o poema sujo de Ferreira Gullar – e os rituais laicos “nacionais e populares” de Trotsky.

02/04/2018

um bicho que o universo fabrica
e vem sonhando desde as entranhas

Poema Sujo, Ferreira Gullar, capa da primeira edição.

Poema Sujo, Ferreira Gullar, capa da primeira edição. Editado em 1976.

azul
era o gato
azul
era o galo
azul
o cavalo
azul
teu cu

319-deangle-dan-c-do-marfim-3 - Memória e Altar- coleção Rogério Cerqueira Leite

Meu comentário.

Naqueles anos me incomodava muito saber que tinha esta frase no Poema Sujo de Ferreira Gullar. Comprei o livrinho porque minha musa, meu amor platônico, era uma militante que amava este poema. Eu amava era Castro Alves, uma coisa ridícula para os padrões da Liberdade e Luta. Hoje acho o poema de Ferreira Gullar do cacete e volto a ler Castro Alves com toda a revolta dos meus 16 anos.
……………………………………………………………………………………

São os stalinistas que vão chamar Liberdade e Luta de Libelu. Libelu era a designação

Oficina, Macumba Antropófaga, SESC-Campinas (32)

Oficina, Macumba Antropófaga, SESC-Campinas (32).JPG

para gente festeira e inconsequente. Socialismo de festa e de orgia sexual. E  da droga, apesar de os militantes da OSI, que dirigiam a tendência liberdade e Luta ,serem expulsos ou excluídos se usassem droga. E mesmo hoje, Libelu, é uma maneira de desmerecer toda a importância que teve aquele pequeno grupo por colocar no debate a necessidade de lutar pelas “Liberdades Democráticas” e depois por um Partido Operário Independente e depois pela Assembléia Constituinte Livre e Soberana. Foram propagandas que causaram impactos, apesar do grupo minúsculo que era a OSI.
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

“No plano da arte gráfica é possível aprendermos com a criatividade revolucionária que a LIBELU possuía. Enquanto que os stalinistas confeccionavam cartazes com foices, martelos e figuras cinzas, assexuadas e uniformizadas, a LIBELU desenhava no centro do seu cartaz um gatinho. Abaixo da imagem do pequeno felino surgia a seguinte frase: NEM TODOS OS GATOS SÃO PARDOS. Ou seja, existe diversidade (estética, sexual étnica, filosófica, etc) e o marxismo precisa lidar de modo revolucionário com esta questão. A atitude criativa da LIBELU”

Gatinho azul da Liberdade e Luta

Gatinho azul da Liberdade e Luta.

Será possível ignorar ” o nacional e popular”? – E a vida como é que fica?

“Que opor-lhe? Opomos, é certo, às superstições em que assenta a base do ritual, a critica marxista, a relação objectiva com a natureza e as suas forças. Mas esta propaganda cientifica e critica não resolve o problema: desde logo, porque não atinge ainda, nem atingirá durante longo tempo, mais do que uma minoria de pessoas; depois, porque essa própria minoria sente a necessidade de encarecer, de elevar, de enobrecer a sua vida pessoal, pelo menos nos momentos mais importantes.”(7)

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

lavadeira do abaeté -JOSÉ PANCETTI

lavadeira do abaeté -JOSÉ PANCETTI. “sem musa aqui não fico Odorico”

“Sem musa aqui não fico Odorico”
Frase atribuída da José Pancetti, quando foi para a Bahia a convite de seu amigo Odorico Tavares. Outra frase atribuída a Pancetti, que era chamado de comunista. “Partido Comunista me explora”.
As musas não morreram, a arte figurativa também não – é só olhar os muros das grandes cidades. Nem mesmo as vanguardas morreram.Mesmo a arte comtemporânea tem algo de figurativo e até utilitário.(2) Tudo ao mesmo tempo agora.
…………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Os rituais laicos. “O Nacional Popular” não morreu e não deve morrer.

careta de Cazumbá, Maria Mazzillo-pg.51

careta de Cazumbá, Maria Mazzillo-pg.51

Vivemos hoje o crescimento de seitas evangélicas. A maioria apoia a direita. Todas elas atacam a cultura popular do Brasil. Em particular a Umbanda que os pentencostais, maioria destas seitas, atacam. Até mesmo alguns militantes atacam a Umbanda, assentando seus argumentos num pretenso purismo do Candomblé.
O que não podemos esquecer é que grandes manifestações populares são influenciadas pela Umbanda e semelhantes. O Maracatu rural e seus cantos da jurema. Aqui a Umbanda recupera a mata e a cultura indígena.

Reisado de Caretas, por Samuel Macedo

Reisado de Caretas, por Samuel Macedo

Na festividade de reis, os caretas do Reisado, dançam cantam e principalmente contam todas a mentiras possíveis para despistar os soldados de Herodes que procuram o menino Jesus. Uma festa religiosa, com bebida, música e mentiras. E máscaras.E sobem nos telhados, gritando que “vão fazer coco” e outras frases escatológicas, para atrapalhar a reza.
“A Gente brincava cinquenta, sessenta cazumbas num terreirão bonito, todos com caretas simples…
“Na hora da reza, pra atrapalhar o rezador, a gente fazia essas estripulias. Enquanto o pessoal tava rezando a gente tava fazendo toda essa macacagem. Trepava no alto do barracão, arrancava palha, gritava que queria fazer cocô” – idem pág. 28″(10))

Artesão Abel Teixeira - Foto Neidson Moreira (O Imparcial)

Artesão Abel Teixeira – Foto Neidson Moreira (O Imparcial) (Maranhão de Amanda)

No Bumba-meu-boi do Maranhão os cazumbas, mascaradas e paramentados, também vão na contramão da normalidade. Quando estão com a máscara, pais-de-família, ou crianças e mulheres, fazem a maior algazarra, brincam com os passantes, fazem disputas entre si, fingem brigar. Ao tirarem a máscara voltam à “seriedade” e ao bom comportamento.(5)

Foto de Caetano Veloso foi publicada nas redes sociais pelo coletivo Mídia Ninja

Foto de Caetano Veloso foi publicada nas redes sociais pelo coletivo Mídia Ninja

Além do mais as máscaras podem ser reatualizadas em momentos cruciais da nossa história. E provocar debates importantes. E quem diz que não podemos e devemos burlar a democracia, este momento privilegiado de luta, mas também do exercício supremo da sociedade de controle e controladora.
“É uma violência simbólica proibir o uso de mascaras. Dia 7 de setembro, todos deveriam ir às ruas mascarados”, disse Caetano, segundo o Mídia Ninja. O coletivo jornalístico divulgou informações sobre o encontro com o compositor em suas páginas no Facebook e no Twitter.(6)
……………………………………………………………………………………………………………………………………………..

jurema entidade de umbanda de origem indígena.(4)

Maracatu Cambinda Brasileira desfilou em sua cidade natal, Nazaré da Mata,

Maracatu Cambinda Brasileira desfilou em sua cidade natal, Nazaré da Mata-Pernabuco.

O município de Nazaré da Mata, em Pernambuco, capital do Maracatu de Baque Solto
“Dona Biu, uma das remanescentes da família fundadora, também falou sobre o que mantém a agremiação de pé. “Depois de Deus, Rei Salomão e a Jurema Sagrada”, disse referindo-se à religião predominante no maracatu de baque solto. O Cambinda Brasileira desfila na passarela oficial da cidade do Recife, nesta terça-feira (13), onde disputará o título do Carnaval 2018.”(3)
………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

link

link

(1).MARANHÃO DE AMANDA(Não é o de Zé Sarney que seria odiável. É o Maranhao de Amanda que é amorável, amável, digno de ser amado.. Significado do Nome Amanda
Amanda: Significa “digna de amor”, “amável”, “aquela que deve ser amada”.

(2)- Parangolés e Penetráveis: a influência japonesa em Hélio Oiticica.
(3)- Maracatu Cambinda Brasileira desfilou em sua cidade natal, Nazaré da Mata, nesta segunda-feira (12)-por Paula Brasileiro
(4)- TORÉ E JUREMA: EMBLEMAS INDÍGENAS NO NORDESTE DO BRASIL – Rodrigo de Azeredo Grünewald
(5)careta de CAZUMBA (livro)
(6)- Caetano Veloso cobre rosto e divulga apoio a máscaras em protestos no RJ
(7)- Questões do Modo de Vida-Leon Trotsky
(8)- A crítica de arte hoje, Ferreira Gullar
(9)- PEDRO VERMELHO, de “UM RELATÓRIO PARA UMA ACADEMIA” , um conto de Kafka
Um grafiteiro que leu Franz Kafka.

(10)- careta de CAZUMBA (livro)-29/03/2018

Anúncios

Homenagem a García Lorca – Escultura de Flávio de Carvalho

12/05/2017
MAM- catálogo (2)

MAM- catálogo . A única imagem da escultura de Flávio de Carvalho neste catálogo.

ESTE MONUMENTO É UM SÍMBOLO DA LUTA CONTRA O FASCISMO, A DITADURA E A DIREITA. PODERIA FAZER PARTE DOS ESTANDARTES, CARTAZES E CAMISETAS DA ESQUERDA. E ACHO QUE VAMOS PRECISAR DEFENDÊ-LO.

***Única obra de Flávio de Carvalho em praça pública.
***Primeiro monumento no mundo a homenagear García Lorca.
***Na Madrugada de 20 de julho de 1969 sofreu um atentado à bomba (de direita ou de militares).
***”e folhetos deixados no local do atentado, que destruiu o monumento, chamando o poeta de “comunista e homossexual”.”
***”Em 1971, após ser consertada com muito esforço pelo próprio ***Flávio de Carvalho, sofreu insultos durante a Bienal de Arte de São Paulo e, sem apoio das autoridades, foi colocada do lado de fora do prédio.”
***Foi abandonada para enferrujar no depósito da Prefeitura.
***Em 1979 os estudantes da FAU USP a resgataram, restauram e, num ato, aproveitando a presença do prefeito da ditadura militar, isntalaram-na no vão do MASP.

MONUMENTO A FEDERICO GARCIA LORCA - Inaugurada em 1968

MONUMENTO A FEDERICO GARCIA LORCA – Inaugurada em 1968. Restaurado e devolvido à Praça das Guianas-SP.(segundo página da Veja, em 10 de janeiro, terça-feira, 2012

/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Revista Piauí faz reportagem sobre a história dos estudantes, ou tendência estudantil Liberdade e Luta, assumindo García Lorca como símbolo da luta pela liberdade e contra a direita terrorista. Claro que o tom da revista Piauí é bem levinho. Queria ler esta história contada pela esquerda.

Revista Piauí - Nos que não roubávamos tanto

Revista Piauí – Nos que não roubávamos tanto

 

“Cine Olho.(2) PROJETO DE PESQUISA (IC) REVISTA CINE-OLHO: História e Crítica no Brasil (1976 – 1979) RELATÓRIO nº. 2 . Na pág. 54 traz capa de Cine Olho

“A revista cobriu a expropriação. A ação está documentada numa edição de 1979. Ali se vê a foto do grupo diante do caminhão, com os pedaços da obra de Flávio de Carvalho em cima. No meio dos alegres estudantes, está um jovem negro ainda mais sorridente, de penteado black power, conhecido como Pinho. Ele estudava jornalismo, como eu, e ambos tínhamos vindo da escola pública. “(1). NÓS QUE NEM ROUBÁVAMOS TANTO, Revista Piauí. Monumento a Federico Garcia Lorca, de Flávio de Carvalho, continua no mesmo lugar onde foi depositado pela última vez, em 1979
“O problema era para onde levar o Monumento a Federico Garcia Lorca restaurado. Como era de praxe, fez-se uma assembléia. Vinda de um grupo em que os arquitetos eram maioria, a frase que selou o destino da obra não surpreendia: “Ficaria linda no vão livre do MASP”, o Museu de Arte de São Paulo, na Avenida Paulista.

O mesmo grupo de ladrões embarcou no caminhãozinho e seguiu no meio da noite na direção da Avenida Paulista, que seria fechada no dia seguinte, 20 de janeiro de 1979, como parte das comemorações do aniversário da cidade”(….)Carlão levava uma câmera na mão (e uma idéia na cabeça) para documentar tudo. Existe um curta-metragem sobre a façanha.”(1). NÓS QUE NEM ROUBÁVAMOS TANTO, Revista Piauí. Monumento a Federico Garcia Lorca, de Flávio de Carvalho, continua no mesmo lugar onde foi depositado pela última vez, em 1979
///////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

“3. A poesia esmagada, pelo Atelier Mãe’s Janaína composto por alguns alunos da FAU,
p. 4-11
O artigo registra o roubo de uma escultura de Flávio de Carvalho. Primeiro, o roubo é
descrito num texto jornalístico que apresenta os fatos a partir de uma visão externa aos
acontecimentos. Depois, há uma breve biografia do artista plástico. O texto, publicado
originalmente na revista Argumento n. 1 (não há referência sobre a data de publicação),
fala com admiração de Flávio Carvalho. Por fim, a confissão: “Por isto roubamos o
monumento. Os milhões de papéis que a burocracia solicitaria para restaurar a
criatividade castrariam-na antes de existir”. O roubo foi um ato de protesto de alguns(…)alunos da FAU em resposta à burocracia oficial que estava retendo a obra em más
condições, separando-a da sociedade – a quem de fato ela pertence.
Há fotos ao longo de todo o artigo, registrando o roubo e apresentando a escultura de
Flávio Carvalho:”. (2) PROJETO DE PESQUISA (IC) REVISTA CINE-OLHO: História e Crítica no Brasil (1976 – 1979) RELATÓRIO nº. 2 . Na pág. 54 traz capa de Cine Olho
/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
MONUMENTO A FEDERICO GARCIA LORCA

MONUMENTO A FEDERICO GARCIA LORCA-Inaugurado em 1968, a obra é a única do artista Flávio de Carvalho exposta em praça pública e foi a primeira do mundo a homenagear o poeta espanhol

“O monumento que hoje está instalado na Praça das Guianas, zona sul de São Paulo, tem uma longa e tortuosa história.

Concebido e realizado pelo arquiteto Flávio de Carvalho, a pedido do Centro Democrático Espanhol, é a única obra do autor em praça pública e foi o primeiro monumento do mundo a homenagear o poeta espanhol assassinado em 1936 pelas tropas franquistas, acusado de comunista durante a Guerra Civil Espanhola.

Monumento em preparo para inauguração

O escritor Pablo Neruda não só prestigiou como discursou durante a inauguração da obra. Mas, na madrugada de 20 de julho de 1969, ela foi vítima de um atentado à bomba, e folhetos deixados junto a si informavam sobre a destruição do monumento ao poeta “comunista e homossexual”. Danificada pela explosão, foi parar no depósito da Prefeitura.

Em 1971, após ser consertada com muito esforço pelo próprio Flávio de Carvalho, sofreu insultos durante a Bienal de Arte de São Paulo e, sem apoio das autoridades, foi colocada do lado de fora do prédio.

Uma vez tendo voltado ao depósito, foi posteriormente “sequestrada” por alunos da Escola de Artes e Comunicação e da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, em 1979. Durante três meses, eles trabalharam na sua recuperação e a depositaram no vão livre do MASP (Museu de Arte de São Paulo), estrategicamente, no dia em que o prefeito Olavo Setúbal participava de um evento no museu. O prefeito e Pietro Maria Bardi, diretor do MASP, não aprovaram o ato. Dias depois, finalmente,a obra foi reimplantada na Praça das Guianas, seu local de origem.

Entre os “sequestradores”, estava o diretor Fernando Meirelles, que estudava Arquitetura naquele momento.”(3)Monumento a Federico Garcia Lorca é restaurado
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

A placa da escultura em dois momentos= sendo soldada durante o restauro, e depois pronta para inauguração

A placa da escultura em dois momentos= sendo soldada durante o restauro, e depois pronta para inauguração

Monumento a Garcia Lorca
Restauro da obra de Flávio de Carvalho.

Pena ver um Blog narrando o Prefeito de São Paulo, Kassab, inaugurando a obra. E passou-se vários prefeitos ditos de esquerda na prefeitura de São Paulo antes de Kassab. O mesmo Kassab que gastou grande parte de suas energias para combater mendigos e moradores de rua (num desejo claro tornar a vida deles impossível). Estes prefeitos do PT, de Erundina a Marta Suplicy preferiram deixar intocada a obra da ditadura militar e da direita terrorista de 1969. Abaixo vai o Blog da inauguração apenas porque conta com várias fotos do monumento.(4)Monumento a Garcia Lorca Restauro da obra de Flávio de Carvalho

//////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

 

links

(1). NÓS QUE NEM ROUBÁVAMOS TANTO, Revista Piauí. Monumento a Federico Garcia Lorca, de Flávio de Carvalho, continua no mesmo lugar onde foi depositado pela última vez, em 1979
(2) PROJETO DE PESQUISA (IC) REVISTA CINE-OLHO: História e Crítica no Brasil (1976 – 1979) RELATÓRIO nº. 2 . Na pág. 54 traz capa de Cine Olho
(3)Monumento a Federico Garcia Lorca é restaurado
(4)Monumento a Garcia Lorca Restauro da obra de Flávio de Carvalho
(5)Fotos do Estado precário da obra -Monumento a Garcia Lorca/ Restauro da obra de Flávio de Carvalho sexta-feira, 11 de novembro de 2011
(6) http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/patrimonio_historico/ladeira_memoria/index.php?p=8266