FLOR NO ASFALTO. A banalidade comovente.

25/06/2014

018

019022006015

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………
NO OUTRO DIA OS GARIS DA PREFEITURA JÁ TINHAM ARRANCADO E ENSACADO NUM SACO PRETO.

……………………………………………………………………………………………

Anúncios

futebol NAVARRO

08/09/2012

futebol NAVARRO (8)
Upload feito originalmente por Jornal do Porão

Fotos de uma edição fac-similar que se encontra no Arquivo Edgard Leuenroth. Há informações de que o acervo original do pintor que se econtra no seu Estado de orgime, está desorganizado, portanto sem condições de saber ao certo o seu estado de conservação.

Não sei julgar o valor artístico de tais desenhos. Mas para quem gosta de futebol, parece que registrou movimentos bastante elegantes do esporte. Acho os desenhos muito mais expressivos que foto e isso já vale a pena divulgar aqui.

NOTA DE MAIO DE 2012
Até este mês de 2012 só 2 pessoas leram tal post. Inacreditável.
Seguindo as regras que este blog se impôs, está sendo republicada neste 08 de setembro de 2012.

Mário Martins de Lima

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

frases sobre futebol

1 . “Muitas vezes é a falta de caráter que decide uma partida.
Não se faz literatura, política e futebol com bons sentimentos…”
(Nelson Rodrigues – dramaturgo, jornalista, escritor e principalmente tricolor)

2. “Bola de futebol…é um utensílio semivivo, / de reações próprias como bicho, / e que, como bicho, é mister / (mais que bicho, como mulher) / usar com malícia e atenção / dando aos pés astúcias de mãos.”
(João Cabral de Mello Neto – foi um poeta e diplomata brasileiro)

3 . “Homens amam mais futebol do que mulheres ??? Eu nunca vi um cara que tenha trocado de time, nem cobiçado o time do amigo alheio… ???”
(Bárbara Coré)

4. “O que finalmente eu mais sei sobre a moral e as obrigações do homem devo ao futebol…”
(Albert Camus -Escritor e goleiro na juventude)

5.já em sua Paulicéia desvairada (1922) refere-se a um
domingo em que o futebol mobiliza a cidade:
“Hoje quem joga?… O Paulistano
Para o Jardim América das rosas e dos
pontapés!
Friedenreich fez goal! Corner! Que juiz !
Gostar de Bianco? Adoro. Qual Bartô…
E o meu xará maravilhoso!…
– Futilidade, civilização…”
(link 02)

Uma música e tanto de um conjunto pelo qual não me interesso, feita por uma São Paulino (Nando Reis), logo um cara que não gosta realmente de futebol.
……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Os Zagueiros.

Futebol também tem zagueiros craques. Saudade de Gamarra. E quem viu Franz Anton Beckenbauer jogar. Sutil, elegante e cabeça erguida.

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Meio-de-campo. 

A politicagem consagrou o termo para um cara capaz de enrolar todo mundo. O mesmo que ter jogo-de-cintura. Só que Afonsinho, um meio-campista  no futebol, e craque, não soube fazer isso na política e se danou. Era também médico, como Sócrates,  e gritou pela liberdade no período mais duro da ditadura militar.

Afonsinho, o primeiro jogar a questionar a lei do passe, em meio a ditatura militar, onde nada podia ser questionado. O primeiro que vi jogando, usando barba longa. E naqueles anos terríveis usava sua profissão e sua fama para questionar a falta de liberdade. Foi massacrado e esquecido. Apesar de um grande jogador. Gilberto Gil fez essa homenagem. Pouco pelo que Afonsinho significou.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

links

01. frases sobre futebol

02.O descobrimento do futebol:
modernismo, regionalismo e paixão esportiva em José Lins do Rego Futebol no modernismo


Árvores mortas com pássaros

27/08/2012

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………


capoeira angola desenhos de Caribé

02/08/2012

Biblioteca Mário XII AfroBrasil 000.001

A esperança é que o livro seja reeditado. No site estante virtual este livro de Waldeloir Rego vai de 395 reais a 1.593 reais. Ou seja, preço proibitivo para os mortais comuns. No Arquivo Edgard Leuenroth tem um exemplar.  Consegui o meu por R$ 100,00. Pretendo fazer uma resenha.
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

 

link

WALDELOIR REGO
CAPOEIRA ANGOLA
ensaio sócio-etnográfico
Salvador
Editora Itapoan
1968

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Música que me fez prestar atenção na capoeira, em 1972. Até hoje, esta é um das minhas músicas prediletas.

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Este slideshow necessita de JavaScript.


………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

galeria

Claro que a vontade é colocar aqui os 18 desenhos maravilhosos. Aqui vão alguns como propaganda gratuita de um livro que não conheço nova edição.


Teatro da Unicamp. Um teatro público.

06/07/2012

…………………………………………………………………………………………………………………………………

Teatro sem público: deve ser a grande sacada da vanguarda da Unicamp

“História
O Globe Theatre original foi construído em 1599, por uma companhia de teatro a qual Shakespeare pertencia. Em 1613, a construção foi destruída pelo fogo, em um ensaio para a peça Ricardo VIII. No ano seguinte, a arena foi toda recomposta, mas em 1642 foi fechada por conta da pressão pública dos puritanos, maioria na região na época. Dois anos depois, o Globe Theatre foi demolido.
Na década de 1970, o diretor e ator norte-americano Sam Wanamker fundou o Shakespeare Globe Trust, um grupo que tinha como objetivo reconstruir uma companhia semelhante ao teatro fechado de Shakespeare. A tarefa parecia impossível com a arquitetura do século 20, mas Wanamaker persistiu e finalmente o Shakespeare Globe foi aberto ao público em 1997 muito próximo ao local do antigo Globe Theatre.” http://mapadelondres.org/

Onde era o antigo Teatro Municipal de Campinas. Hoje uma praça bem suja. Com um monte de barracas de camelôs. Local onde mora e dorme muitos mendigos, inclusive durante o dia. Um imenso espaço vazio, concretado e sujo. Obra do prefeito Ruy Novaes. Depois Orestes Quércia(MDB). Chico Amara(PMDB)l. Magalhães Teixeira(PSDB), Jacó Bittar(PT), Toninho(PT), Isalene(PT), Hélio Santos(PDT), todos juntos para manter campinas como uma cidade sem cultura, sem imagem, sem debate cultural. Esses promotores da barbárie.
Acho o local ideal para erguer um moderno teatro municipal. Acho que é o local ideal para construir o teatro da Unicamp. Onde os estudantes poderiam testar se realmente aprenderam a fazer teatro na escola, enfrentando aqueles “que vão para ver”. Um teatro dentro de uma escola, como vai ser o teatro da Unicamp é um teatro para não ser visto, é um contra-senso. Ou uma comédia.

O Teatro Municipal de Campinas Carlos Gomes. Construído por Ramos de Azevedo. Localizado entre as ruas Treze de Maio e Costa Aguiar, foi inaugurado em 1930. Foi demolido, em 1965, pelo prefeito Ruy Novaes. Tinha capacidade para 1.300 lugares. No seu lugar foi construído o Teatro Municipal Castro Mendes. Com metade dos lugares.E esse Castro Mendes[que está fechado há alguns anos e ninguém parece sentir falta] teve uma vida intermitente. Mais vazio e seco, como se vivêssemos num sertão. Campinas é uma espécie de deserto cultural, mesmo tendo duas grandes universidades e milhares de estudantes.
Como o Teatro do Centro de Convivência está também está fechado para reforma, atualmente, Campinas não tem nenhum teatro público. Enquanto isso tem centenas de departamentos universitários. Será que universidade é cultura?

………………………………………………………………………………………………………………………………..

…………………………………………………………………………………………………………………………

Teatro do IA, UNICAMP, ao fundo Ginásio da Unicamp que deveria ser um lugar que se prática ginástica(mas está entregue a fantasmas). Como teatro vem do grego, lugar onde se vai para ver, deveria ser diferente.
Este teatro será, se tudo continuar como é a UNICAMP, uma parasita da cidade de Campinas, este teatro será para os estudantes de artes cênicas da Unicamp, montarem esporádicas peças, onde o público são seus próprios colegas. Onde o aplauso é quase compulsório. Mesmo porque na próxima apresentação quem era ator vai ser público. Um espécie de troca de figurinhas. Será que que o IA da UNICAMP forma atores, dramaturgos, encenadores, iluminadores. Seria interessante fazer um levantamento. Um coisa é certa, para a cidade de Campinas, existir uma escola de artes cênicas não contribui em quase nada para qualquer movimento cultural na cidade. Acho que nem mesmo a maioria dos estudantes da Unicamp, em qualquer época, se dá conta que existe uma escola de teatro na unversidade.
Nada de novo. Este imenso teatro da Unicamp, provavelmente, servirá apenas para continuar a política de exclusão social. Deverá também sobrar alguns cargos de comissão, cujo topo será ocupado por um professor, com o nome pomposo de diretor do teatro. Será que sairá algum teatro mesmo. Ou apenas um grande prédio abandonado.
Temos precedente. O Ginásio da Unicamp não tem jogos. Lá, que já teve shows, não tem mais. Já teve até festa de fim de ano para os funcionários, com grandes artistas convidados, não tem mais faz muitos anos. É uma grande estrutura para nada. A feira de livro que acontecia lá não acontece mais faz muitos anos. Mesmo o pouco que se fazia não se faz mais. É um imenso e suntuoso prédio onde não acontece nada. Talvez seja o tal NONADA.
O governo deveria usar o mesmo montante de dinheiro e investimento para criar um teatro, de verdade, no centro da cidade. E também criar financiamento para grupos de teatro, de verdade, que estão em busca de um público verdadeiro e não este público de faz de conta.
O governo deveria sustentar companhias de repertório, como faz o governo inglês. Ninguém nega que a Inglaterra tem teatro e cultura teatral.

……………………………………………………………………………………………………………………………………


livro: Consciência Negra do Brasil

05/06/2012


livro: Consciência Negra do Brasil

Upload feito originalmente por Jornal do Porão

CONSCIÊNCIA NEGRA DO BRASIL: Os principais livros

biblioteca Mário XII- 000.008

Não haverá revolução proletária no Brasil se não for assentada na aliança com os o movimento de emancipação dos negros. Com este espírito recebo o presente de Mário Augusto Medeiros da Silva, o principal colaborador do jornaldoporao.wordpress.com

O que estes livros abordarão. Claro que não sei ainda. Mas aqui mesmo neste jornal vou fazer pequenas resenhas destas leituras e de outras que surgirão. Estarei atento ao doutorado de Mário Augusto que trata também da questão negra, de escritores negros.

Será uma grande jornada pelo que o Brasil tem de mais profundo.

Mário Medeiros também doou um exemplar para o AEL.

MAIS LIDOS DE 2011
A pequena notícia acima teve, até 03/05/2012, 96 leitores.
Curiosamente, à exceção do Mário Medeiros, ninguém se preocupou em me dar alguma dica sobre livros e obras.
Mas solicito encarecidamente.

Ah! Quanta terra e quanto mar! Também dica do Mário Augusto Medeiros da Silva. Com um pequena historinha. Quando me telefonou indo para o lançamento do livro e já tinha adquirido na Estante Virtual. Não sei que milagre que este, mas antes do lançamento já tinha 4 caixas(pois são 4 volumes numa caixa) à venda por preço menor que o que estava sendo lançado.
No entanto ainda não consegui ler nada.
E neste momento estou obcecado pela exposição “Memória e Altar”, da coleção de Rogério Cerqueira Leite. E pretendo que esta obsessão dure, de maneira totalmente absorvente, pelo menos 4 meses; período da exposição na CPFL e depois na Unicamp.
Depois pretendo comentar esta obra aqui

biblioteca Mário 000.009

TEXTOS AFINS NO JORNAL DO PORÃO:
01.

02. bibliografias e resenhas: ATITUDES RACIAIS DE PRETOS E MULATOS EM SÃO PAULO

03.CIVILIZAÇÕES AFRICANAS: “Altar e Memória” : Exposição da Coleção de Rogério Cerqueira Leite

04. CONSCIÊNCIA NEGRA


Plantas e flores, brincadeiras; e garça.

30/05/2012


Vermelho: antúrio. O Branco: não sei o nome, apesar de sua presença em qualquer varanda. Fiz incansáveis fotos. Deveria registrar todos meus “estudos” neste blog. Na verdade, apontamentos. Quem souber me ajude. Qual o nome desta flor branca?

Queria brincar e peguei a câmera. Vagabunda. Sem recursos. Um dia compro uma com alguns recursos, para registrar detalhes e brincar com eles. Adoro fotografar detalhes. Esta câmera limitada não permite mais que isso, acho. Adorei ficar brincando com as aparências.

Esta garça de hábitos noturnos, registrada em 02 de abril de 2011, na Praça da República em São Paulo. Neste último ano não consegui esquecê-la. E nunca vou esquecê-la. E nem sabia que ela existia. E nunca poderia pensar que “morava” no centro de São Paulo. Saía de uma reunião política, com gente que pensava em política e topei com uma garça. Viva.

001 by Jornal do Porão

Claro que além de banal foto de flores e plantas é bem banal. Até medíocre. Quase sempre odeio a banalidade. Não acho plantar e cultivar banal. Mas adoro registrar as plantas, principalmente as que cultivo. E insisto em mostrá-las. Quase ninguém dá importância. E não condeno. Também odeio as banalidades. Mas também adoro coisas banais, foto de flores, Corinthians ou mesmo futebol de várzea. Gostaria de fotografar o futebol de várzea. Os muros das cidades: grafites, frases, palavrões. Também é um motivo para andar pelas ruas.
001, a photo by Jornal do Porão on Flickr.

A banalidade é o mal. Mas adora as fotos que eu tiro das flores e plantas. Deveria não mostrar para ninguém. Mais ainda: adoro cultivá-las e depois fotografá-las. Penso mesmo em comprar um câmera potente.

QUEM SE INTERESSAR PELAS FOTOS CLIQUE SOBRE A FOTO MAIOR E ACESSARÁ UM ÁLBUM NO FLICKR

Achei que, apesar de toda a brancura, aquela garça estava também aqui. Além da banalidade, amo e odeio São Paulo.
…………………………………………………………………………………………………………………………………….
galeria de fotos. Flores da Casa de Maria Dutra de Lima