TU NÃO TE MOVAS DE TI – Hilda Hilst

25/06/2018

TU NÃO TE MOVAS DE TI – Hilda Hilst

HILST, Hilda - Tu Não Te Moves de Ti - Ed. Nova Fronteira - [E2 - P2 - F1 frente - m1] - 1a Edição -

HILST, Hilda – Tu Não Te Moves de Ti – Ed. Nova Fronteira – [E2 – P2 – F1 frente – m1] – 1a Edição –

…………………………………………………………………………………………………………………………………………….
“(…) Impossível te ler Jorge de Lima, prodigioso Drummond, com os dois me faltavam nas longas madrugadas, então Carlos, te memorizava: “amor é privilégio de maduros, amor é que se aprende no limite / depois de se arquivar toda a ciência / herdada, ouvida / Amor começa tarde”. De cór o princípio e o fim do teu verso. E o do meio? (…) Como desejei ter asas em algumas noites, por te reler, Jorge tão rei : “iam bem juntos, iam resolutos, / olhares cúmplices mas não inpuros / andavam devagar, indissolutos / num vago andar feroz e quase inútil”. HILST, Hilda – Tu Não Te Moves de Ti – Ed. Nova Fronteira – [E2 – P2 – F1 frente – m1] – 1a Edição –

 ………………………………………………………………………………………………………………………………………………..
Poema de Carlos Drummond de Andrade
para Hilda Hilst

Abro a folha da manhã
Por entre espécies grã-finas
Emerge de musselinas
Hilda, estrela Aldebarã.

Tanto vestido enfeitado
Cobre e recobre de vez
Sua preclara nudez
Me sinto mui perturbado.

Hilda girando boates
Hilda fazendo chacrinha
Hilda dos outros, não minha
Coração que tanto bates.

Mas chega o Natal
e chama a ordem Hilda.
Não vez que nesses teus giroflês
Esqueces quem tanto te ama?

Então Hilda, que é sab(ilda)
Manda sua arma secreta:
um beijo em morse ao poeta.
Mas não me tapeias, Hilda.

Esclareçamos o assunto.
Nada de beijo postal
No Distrito Federal
o beijo é na boca e junto.


A Puta, Carlos Drummond de Andrade

26/09/2012


Quero conhecer a puta.
A puta da cidade. A única.
A fornecedora.
Na Rua de Baixo
onde é proibido passar.
Onde o ar é vidro ardendo
e labaredas torram a língua
de quem disser: Eu quero
a puta
quero a puta quero a puta.
Ela arreganha dentes largos
de longe. Na mata do cabelo
se abre toda, chupante
boca de mina amanteigada
quente. A puta quente.
É preciso crescer
esta noite a noite inteira sem parar
de crescer e querer
a puta que não sabe
o gosto do desejo do menino
o gosto menino
que nem o menino
sabe, e quer saber, querendo a puta.

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

pingback

o1. FILHA MÃE AVÓ E PUTA: A História de uma mulher que decidiu ser prostituta, livro de Gabriela Leite.
……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

link

01. Beijo da Rua

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

pingback

 

01. Ana de Amsterdã, elogio a uma prostituta triste e arrependida.
02.Um artigo do Jornal Beijo da Rua
03.Me Gustán las Muchachas Putanas, Mário Bortolotto
04. puta, Newton Peron


Prazer Sexual e suas variações, com100 ilustrações eróticas do autor

24/06/2012

biblioteca Mário 000.001

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

O livro tem 10 páginas de texto. Melhor não tivesse nenhuma. Vai do conservadorismo à bobagem de dizer, como na página 06, para “Não pensar em perversões…”. Sexo humano, diferente do de todos os outros  animais, é pura perversão. Não tem nada de natural. Ninguém nunca viu o boi beijar as tetas da vaca. Sexo oral, dizem, só o bonobos.

Os desenhos também são bem conservadores. Como tema: não tem sexo anal. Como desenho mesmo: são bem acadêmicos e naturalista. O que confisca-lhes a possibilidade de serem realmente eróticos e expressivos. Mas como não conheço outro livro igual e o mantenho e o vejo sempre com muito prazer, sem trocadilho ou redundância.

Gostaria de ter as gravuras e desenhos eróticos de Picasso. Em livro, em boa estampa. Se houver, deve ter um preço proibitivo. Farei um album google que não substitui um livro, por pior que seja a edição.
Assim como comecei com pinturas de Modigliani.

Aqui reproduzo alguns dos desenhos.
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………

“Não te vejo não te escuto não te aperto / mas tua boca está presente, adorando / Adorando / Nunca pensei ter entre as coxas um deus”. assim Carlos Drummond de Andrade cantou esta posição, em O Amor Natural.

Acho o desenho uma forma mais contundente de mostrar o erotismo ou pornografia. A anedota que gosto é que erotismo é o sexo que eu faço e pornografia é o dos outros. Mesmo nesse livro, cujos desenhos me parecem fracos, há uma grande carga de energia erótica, o que não consigo ver em fotos, ou filmes.
O desenho popularíssimo, os chamados catecismos de Carlos Zefiro, de conteúdo mais ousado, menos acadêmicos, ou mais toscos, acabam sendo mais contundentes. Afinal educou a maioria dos homens nas décadas de 60 e 70. Desenhos  que vi e apreciei. Tem um coleção na internet. Gostaria de tê-los em livros. Os catecismos original creio que é coisa de colecionador.
Marisa monte fez um capa e folheto de encarte do seu CD, “Barulhinho Bom”, com Carlos Zéfiro. A desenho da capa é Marisa Monte a la Carlos Zéfiro.

Para mim, deveria ser o ícone da democracia. A outra, a política, só fode os de baixo.

Para manter a democracia desta página. E no livro tem vários desenhos, como este, onde a mulher é contemplada. Poderia ter mais.

Numa licença erótica, coloco aqui uma cena Grega. Onde a mulher leva uma nítida vantagem.

Carlos Zéfiro desenho uma infinidade de posições sexuais.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Galeria

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

links

01 . Homenagem a Carlos Zéfiro