Massacre da escola Santa María de Iquique: 21 de dezembro de 1907

28/12/2014

Anotações feitas em 28 de dezembro de 2014

Quilapayún, Santa Maria de Iquique

Quilapayun – 1970 – кантата “Санта Мария де Икике”
……………………………………………………………………………………………….. …………………………….
Cantata Santa Maria de Iquique Autor Luis Advis, Interprete: Grupo Quilapayún,Textos completos.

 

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

sta_iquique1 matanza

UMA PROPOSTA E UMA IRONIA. Os trabalhadores reivindicavam escola noturna para si ,  e filhos. [ Uma reivindicação, que passados mais de 100 anos, ainda não foi adotada pelos nossos sindicatos, movimentos populares e partidos. E as escolarização, hoje, é muito mais importante para o trabalhador. Grande parte dos empregos, mesmo nos setores mais tipicamente operário, o estudo regular, estudos técnicos e universitários são cada mais necessários ao trabalhador e à produção. O trabalhador de hoje terá um papel ainda mais fundamental na direção de uma sociedade socialista. Além de um possível domínio, infinitamente maior da herança da cultura socialista – dos clássicos. E que podemos sonhar muito mais tranquilos que vasta gama de trabalhadores, dominando esta cultura ideológica, poderá enfrentar qualquer traço de degeneração de uma sociedade socialista, se apossando de pensadores anti-burocráticos como Trotsky]. A IRONIA. Os mineiros de Iquique não conseguiram as escolas e a formação que reivindicavam e foram morrer dentro de uma escola. Serve de emblema para toda uma geração. Devemos levar nossas lutara para o interior de todas as escolas. E pós as jornadas de 2013 há uma proposta que venho reteirando: 1.Por um Sistema Único (Federal) de Educação; 2. Por uma Carreira Nacional de Professores (“Todos somos Professores”); 3. Piso salarial Nacional, para todos os professores; 4. 100 por cento de cotas para o ensino médio público para ingresso nas universidades públicas; 5. Que o orçamento para educação seja discutido no orçamento nacional; 6. Que todo formado em uma universidade pública tenha que dar aula por 5 anos no ensino médio público;………………………………………………………………………………………………………..UM TEXTO QUE JUSTIFICA ESTAS PROPOTAS:https://jornaldoporao.wordpress.com/…/junho-e-possivel-acha…/

…….Solicitan la apertura de escuelas nocturnas en los poblados para poder alfabetizarse, ellos y sus hijos

“Miles de obreros con sus familias marchan hacia Iquique. Piden que sus salarios sean pagados en peñiques, porque el salitre se comercializaba en libras esterlinas. Exigen también libertad de comercio y el poder contar con una balanza y una vara para controlar la mercadería que adquieren, hartos de las estafas de los patrones. Solicitan la apertura de escuelas nocturnas en los poblados para poder alfabetizarse, ellos y sus hijos/as. Y por supuesto, que ningún trabajador sea despedido por participar de la lucha”. La Izquierda Diario
…………………………………………………
PABLO NERUDA
Una vez a Iquique, en la costa,
hicieron venir a los hombres
que pedían escuela y pan.
Allí confundidos, cercados
en un patio, los dispusieron
para la muerte.
Dispararon
con silbante ametralladora,
con fusiles tácticamente
dispuestos, sobre el hacinado
montón de dormidos obreros.
La sangre llenó como un río
la arena pálida de Iquique,
Y allí está la sangre caída,
ardiendo aún sobre los años
como una corona implacable. En el Canto General (1950), Pablo Neruda le canta a Recabarren
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

O TEXTO COMPLETO DA CANTATA: cliqueCantata Santa Maria de Iquique Autor Luis Advis, Interprete: Grupo Quilapayún,Textos completos.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

….La Cantata Santa María, del iquiqueño Luis Advis, habla de 3.600 muertos, aunque dicha cifra tenía un fin más musical que histórico

¿Cuántas personas murieron en 1907?
Una incógnita de la historia es cuántas personas murieron en la Escuela Santa María. Hace un par de años se exhumaron 2.232 desde una fosa ubicada a un costado del Servicio Médico Legal, sin embargo, se comprobó que databan de 1917 a 1930 y todavía no hay certeza científica. Los muertos de esa jornada, también denominada “Suceso de la Plaza Montt” fueron sepultados en el cementerio N° 2 Iquique. Dicho camposanto desapareció en 1960 bajó una población y muchos cuerpos fueron lanzados a fosas comunes. Se sabe que en 1911 la comunal de obreros levantó un memorial para los obreros pampinos. En 1957 dichas estructura es demolida y los restos fueron dejados en una fosa, contabilizando 267 cráneos, los cuales hasta la fecha siguen en el sector aunque no se sabe dónde y quizás están bajo viviendas.
La Cantata Santa María, del iquiqueño Luis Advis, habla de 3.600 muertos, aunque dicha cifra tenía un fin más musical que histórico
El historiador iquiqueño Mario Zolezzi señala que el general Roberto Silva Renard fija en 140 las víctimas, mientras que el cónsul peruano de esa época informa de 140 muertos y 200 heridos. “El empresario salitrero inglés John Lockett señala 200 muertos y 300 heridos, mientras que el cónsul británico dice 120 muertos y 230 heridos. El corresponsal de “El Comercio”, de Lima, escribe que se calculaba que dentro y fuera de la escuela habían unos 300 muertos e innumerables heridos. El historiador Leopoldo Castedo da a conocer otras cifras mayores y el corresponsal de The Economist informó a Londres de 500 muertos. Venegas Arroyo dice de 2.000 muertos, corroborada por Armando Jovet Angevín, padre del historiador y suboficial del Carampangue, que en el primer turno de entrega de cadáveres a él encomendado, contó novecientos muertos. Otros heridos fallecieron en el Hospital de Beneficencia”.
Publicado hace 8th February 2011 .Reconstruirán la escuela Santa María
…………………………………………………..

“Veamos las relaciones con respecto al número de muertos y heridos. En el imaginario colectivo han quedado grabadas a fuego las palabras de la Cantata Santa María de Iquique de nuestro Luis Advis Vitaglich: “Fueron 3.600”, olvidando que la creación literaria o musical, aunque tenga una base histórica, no es historia, sino ficción y como tal debe cumplir las reglas, en este caso de armonía, rima, entonación y otros elementos del universo musical que no son de mi especialización. Considere el lector/a que el número redondo que utiliza Advis que es 3.600 fuera reducido históricamente a 2.357 ó 1.235. Se perdería el elemento fundamental de la Cantata, la rima interna.” Anarkismo/net

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

links

01. Quilapayun – 1970 – кантата “Санта Мария де Икике”
01A- Cantata Santa Maria de Iquique Autor Luis Advis, Interprete: Grupo Quilapayún,Textos completos.

O2. Dolores Mujica
03. A 107 años de la matanza de Santa María de Iquique;La historia de la heroica huelga y posterior represión en Santa María de Iquique, Chile se populariza en los años ´70 a través de la Cantata interpretada por el grupo Quilapayún
04. sábado, 25 de agosto de 2007,Exhuman 820 presuntas víctimas de histórica matanza de obreros en Chile

05. Recuento de los masacrados en la Escuela Santa María. Las Versiones.Anarkismo/Net
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..


Família Rockefeller incendeia e asfixia 11 crianças, duas mulheres, estando uma grávida, e mineiros em greve em 21 de abril de 1914

26/12/2014

Apontamentos de 26 de dezembro de 2014

massacre de Ludlow, Colorado.
…greve começou em setembro de 1913 e o massacre aconteceu em 21 de abril de 2014;
…11 mil mineiros do sul do Colorado, maioria de imigrantes; 1500 em greve;
.. Fuel & amp, Iron Corporation, que pertencia à família Rockefeller;
…Exaltados pelo assassinato de um dos seus organizadores foram à greve;
…mineiros e familiares acamparam nas colinas perto das minas e os mineiros ocuparam as minas; organizados pelo sindicato (United Mine Workers);
… no dia 20 de abril de 2014 a Guarda Nacional, paga por Rockefeller, e capangas da agência de detetive Baldwin-Felts, atacam as barracas e os mineiros com fuzis e metralhadoreas; mas eles resistem;
…no dia 21 o governo do colorado e os capangas de Rockefeller colocam fogo nas barracas e asfixiam 11 crianças, duas mulheres, estando uma delas grávida. Dos lado dos mineiros são assassinados 19 pessoas.( ver mais)

Ludlow-strikers
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Não devemos esquecê-los:ludlow-massacre-monument

* John Bartolotti, de 45 años
* Charlie Costa, 31
* Fedelina Costa, 27
* Lucy Costa, 4
* Onofrio Costa, 6
* James Fyler, 43
* Cloriva Pedregon, 4
* Rodgerlo Pedregon, 6
* Frank Petrucci, de 4 meses.
* Joe Petrucci, 4
* Lucy Petrucci, 2
* Frank Rubino, 23
* William Snyder Jr., 11
* Louis Tikas, 30
* Eulala Valdez, 8
* Elvira Valdez, 3 meses.
* Mary Valdez, 7
* Patria Valdez, de 37 años
* George Ullman, de 56 años

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Consecuencias: La Guerra de los 10 días

“En respuesta a la masacre de Ludlow, los dirigentes de los sindicatos en Colorado, hizo un llamado a las armas, instando a los miembros del sindicato para adquirir “todas las armas y municiones legalmente disponibles”, y una gran guerra de guerrillas a escala se produjo. Durante 10 días, atacaron y destruyeron las minas y lucharon batallas campales con los guardias de las minas y las milicias.
Al menos cincuenta personas, incluidos los de Ludlow, fueron muertos en diez días de lucha contra los guardias de las minas. La lucha terminó sólo después de que el gobernador de Colorado desesperado pidió la intervención federal al presidente de EE.UU., Woodrow Wilson, que envió tropas federales.
Este conflicto, denominado la Guerra Coalfield Colorado, fue el conflicto laboral más violento de la historia de EE.UU., el balance de muertos oscilaba entre 69 en el informe del gobierno de Colorado, a 199 en la investigación ordenada por John D. Rockefeller, Jr.”. Ver mais

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

 

” …cada último domingo de junio -e igual que cada año desde hace 89- habrá una ceremonia en Ludlow, Colorado. Allí se recordará la masacre ocurrida en abril de 1914…”

. Ver mais
Mas a data reconhecida do massacre é 20 de abrir, apesar de que o incêndio das barracas e a asfixia de 12 crianças, uma no ventre da mãe, foi 21 de abril de 1914.
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

newsDotson-Ludlow-Survivor-

Irene Dotson, 91 Dotson se acredita ser a única pessoa, ainda viva em 2003, das que sobreviveu ao massacre

 

Irene Dotson, 91
Dotson se acredita ser a única pessoa, ainda viva em 2003, das que sobreviveu ao massacre, diante das estátuas decapitadas. “Hace varias semanas el monumento construido en Ludlow para honrar a aquellas víctimas fue atacado por vándalos que decapitaron a sus dos figuras principales -un minero y una mujer que carga a su hijo-.” Ver mais

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Literatura sobre o massacre de Ludlow, Colorado, 1914

Mary Harris, más conocida como Mother Jones

Mary Harris, más conocida como Mother Jones. Mary harris “Por encima de todo y tal como señaló León Trotsky, cuando leyó su autobiografía: “¡Qué indefectible devoción hacia los trabajadores, y qué elemental desprecio hacia los traidores y arribistas que se encuentran entre los “jefes” obreros!”. Mother Jones, avó do sindicalismo e alma do socialismo americano

Mary Harris

Mary Harris

01. Mary Harris, más conocida como “Mother Jones”, (1837 – 30 de noviembre de 1930). Registrou em suas memórias.
02.The Ludlow Massacre, de Walter H. Fink

Walter H. Fink

Walter H. Fink


…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

youtube

00.100 anos do massacre de Ludlow, Colorado
01. Woody Guthrie Ludlow Massacre
02. Ludlow Massacre of 1914 Remembered, álbum de fotos, com música de Woody Guthrie
03. Outro álbum, principalmente as armas dos assassinos, e música de Woody Guthrie
04.Documentário: Ludlow Massacre: The Bloody Debate Over Unions in Colorado. A documentary by Jackson Fields
05. Trailler do Filme “1913 Massacre”, Inspired by a Woody Guthrie Song – A Story of Greed and the Ruin It Brought to an American Town. Produced and Directed by Ken Ross & Louis V. Galdieri
………………………………………………………………………..
…………………………………………………………………………………………………………………..

 

links

 

 

01. Masacre de Ludlow de abril de 1914
02. La masacre de Ludlow: la represión homicida de una huelga en Estados Unidos

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..


anotados: LA IZQUIERDA DIARIO E PALAVRA OPERÁRIA. ¿Y si Syriza gobierna Grecia en 2015?

19/12/2014

“Desde el comienzo de la crisis en Grecia se han vivido 32 huelgas generales, miles de manifestaciones, represión y choques con la policía.”

 

¿Y si Syriza gobierna Grecia en 2015? La Izquierda Diario

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

TROSTSKY:
“Tentemos, porém, aplicar à nossa época a contradição entre a ações de massas espontâneas e o trabalho de organização consciente de seus fins. Foram enormes os gastos em forças e desinteresse que as massas trabalhadoras de todos os países civilizados ou semicivilizados fizeram desde a guerra mundial! Não encontramos um precedente semelhante em toda a história da humanidade. Nesta medida, Rosa Luxemburgo tinha totalmente razão contra os filisteus e os cretinos do conservadorismo burocrático, “coroado de vitórias”. Mas, justamente o desperdício dessas incomensuráveis energias constitui um terreno favorável à grande depressão do proletariado e à vitória do fascismo. [gm] [Podemos afirmar sem qualquer exagero: a situação mundial está determinada pela crise da direção do proletariado. O campo do movimento operário encontra-se ainda bloqueado pelas sobras poderosas das velhas organizações falidas. Depois de numerosas derrotas e desilusões, ,o grosso do proletariado europeu encontra-se fechado em si mesmo.” Palavra Operária, citação de Rosa Luxemburgo e a IV Internacional,   (Rápidas Observações a respeito de uma importante questão), Trotsky., introdução a ROSA LUXEMBURGO , Greve de Massas, Partido e Sindicatos, Kairós, 1979.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

ROSA LUXEMBURGO:

 

“… a revolução russa (1905, gm) ensina-nos assim uma coisa: é que a greve de massas nem é “fabricada” artificialmente nem “decidida” ou “difundida” no éter imaterial e abstrato, é tão somente um fenômeno histórico, resultante, em certo momentos, de uma situação social a partir de uma necessidade histórica[gm]“. pág. 19

 

 

“…É por isso que temer a propaganda em favor da greve de massas e pretender excomungar formalmente os culpados deste crime é ser vítima de um absurdo equívoco. É tão difícil “propagar” a greve de massas como meio abstrato de luta, como “propagar” a revolução. A “revolução” e a “greve de massas” são conceitos que não representam mais do que a forma exterior da luta de classes e só tem sentido e conteúdo quando referidas a situações políticas bem determinadas”. pág. 19

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

As 8 horas de trabalho

Depois de 1905:

“…Atualmente a Rússia está à frente, no que se refere à duração real do trabalho, não somente da legislação russa que prevê um dia de trabalho de 11 horas e meia, mas também das condições efetivas de trabalho na Alemanha. Na maior parte dos ramos da grande indústria russa, adota-se o dia de trabalho de 8 horas, o que constitui, aos olhos da social-democracia alemã, um objetivo inatingível. ainda mais, este “constitucionalismo indústrial” tão desejado na Alemanha, objeto de todos os votos, em nome do qual os adeptos duma tática oportunista queriam manter as águas paradas do parlamentarismo…” pág. 35

CCOMENTÁRIO:
Anotei este parágrafo para colocar em pauta a aceitação, quase como inevitável, das 8 horas de trabalho. Como se fosse algo do direito natural.
Para avançar, na crise do desemprego, é claro que a escala móvel do Programa de Transição.
Mas nos tempos atuais, onde o proletariado é muito mais escolarizado e que a possibilidade de melhora em várias camadas do proletariado e dos trabalhadores depende de ensino e formação profissional, acho, que a questão de horas para estudo seria fundamental, assim como uma propaganda constante para que abram-se vagas e mais vagas para o ensino técnico e universitário.
– 100 por cento dos de vagas nas universidades públicas para o ensino médio público;
– Carreira Nacional de Professores: “todos somos professores”
– Sistema Único de Ensino (com verbas discutidas no orçamento nacional).

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Novembro/dezembro de 1905:

“…Em novembro, por apelo da social-democracia, é organizada primeira greve demonstrativa de protesto contra a repressão sangrenta em São Petersburgo e a proclamação do estado de sítio em Livônia e Polônia. O sonho da Constituição é seguido de um despertar brutal. A surda agitação acaba por desencadear a terceira greve geral de massas de dezembro, a qual se estende a todo império…” pág. 40

1906:

“1906 é o ano das eleições e do episódio da Duma. O proletariado, movido por um poderoso instinto revolucionário que lhe permite ver claramente a situação, boicota a farsa constitucional czarista...”.pág. 40

“…A tentativa da social-democracia para organizar uma quarta manifestação de greve de massas em favor da Duma e do restabelecimento da liberdade de expressão cai por terra. A greve política de massas esgotou seu papel, e passagem da greve ao levantamento geral do povo e aos combates de rua não é mais possível. O episódio liberal acabou, o episódio proletário não começou ainda. A cena fica provisoriamente vazia”. pág. 41

COMENTÁRIO:
O encadeamento das ações. Greves econômicas. Lutas políticas (democráticas). Lutas políticas da classe operária para se defender de ataques do estado e da burguesia. E que acontecem no mesmo bojo da questão democrática da Duma. O boicote a Duma, por ser uma farsa czarista. E um tentativa, frustrada, da social-democracia em defender a Duma dos ataques czaristas.
Encadeamento que ajuda a pensar a questão da Constituinte e as lutas reivindicativas.
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

“Assim, é a revolução que cria por si só as condições sociais que permitem uma passagem imediata da luta econômica à luta política, e vice-versa, que se traduz pela greve de massas. O esquema vulgar só compreende a relação entre greve e a revolução nos combates sangrentos a que conduzem as greves de massas; mas, um exame mais profundo dos acontecimentos russos obriga-nos a detectar uma relação inversa: na realidade, não é a greve de massas que produz a revolução, mas é a revolução que produz a greve de massas[gm]“. p. 47

 

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

IDEALISMO REVOLUCIONÁRIO, DE ONDE VEM ISSO?

idealismo, psicologia, revolucionário romântico: de onde vem, para onde vai, o que mantém depois da revolução?

“… O preço que a massa proletária paga por cada revolução é com efeito um oceano de privações e sofrimentos horríveis. Um período revolucionário resolve esta dificuldade aparentemente insolúvel, desencadeando na massa tão grande idealismo que esta se mantém insensível aos sofrimentos mais atrozes. Não se pode uma revolução nem uma greve com a psicologia de um sindicalizado que só consentiria em suspender o trabalho no dia 1o. de maio na condição de poder contar, se for despedido, com um subsídio determinado com precisão anteriormente. No entanto, na tempestade revolucionária, o proletário, prudente pai de família desejoso de assegurar o subsídio, transforma-se num “revolucionário romântico para quem o bem supremo – a vida – e com mais razão o bem estar-material tem uma importância diminuta em comparação com o ideal de luta…”p.49

 
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Comentário:Questões que pretendo me aproximar lendo os três volumes de Ernest Bloch, “O Princípio Esperança”.

O Princípio Esperança, de Ernest Bloch

 

 

 

 
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..


ÁGUAS: RIOS e MANANCIAIS – ESTÃO MORRENDO. A espécie mais ameaçada é o homem, pois pode saber com antecedência que vai morrer.

13/12/2014

0

images

07/11/2014 - CHUVAS DIMINUI A SECA NA CACHOEIRA DE EMAS EM PIRASSUNUNGA

piracema

RIO MOGI GUAÇU

” A bióloga Janete Brigante, coordenadora executiva do projeto, explica que ele nasceu de estudos realizados entre 2000 e 2005 pelo Núcleo de Estudos em Ecossistemas Aquáticos (NEEA), da EESC. Na ocasião, foi feito um diagnóstico das condições gerais da bacia do rio Mogi-Guaçu. “Foi detectada contaminação por metais pesados, valores elevados de coliformes fecais e níveis expressivos de pesticidas nos sedimentos, além de assoreamento e ausência de matas ciliares”, conta a bióloga.“Projeto da EESC quer recuperar rio Mogi-Guaçu
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..
empresas que poluem o Rio Mogi Guaçu

USINA SANTA RITA.

“Altos índices – O resultado das amostras de água apontaram demanda bioquímica de oxigênio acima de 60 miligramas, o que representa o índice máximo permitido pela lei ambiental estadual. No setor de fabricaçao de açúcar, o índice encontrado foi de 90 miligramas, enquanto na água de lavagem da cana-de-açúcar o número chegou a 950 miligramas.”Usina Santa Rita é multada por poluir rio Mogi-Guaçu

Esta empresa não deveria ser apenas multada. Era preciso criar uma legislação que exproprie para controle dos trabalhadores empresas que poluem e destroem o meio ambiente.
Mas seria preciso uma legislação preventiva que enquadrasse as empresas e criasse uma legislação que realmente protegesse o meio ambiente.
O oposto aconteceu o ano passado com o código florestal proposto e defendido pelo PC do B, aprovado pelo congresso e sancionado pelo Governo Dilma. Um tremendo retrocessso e um ataque ao pouco que resta de patrimônio ambiental.
………………………………………………….……………………………………………………………………………………………………………………………………….

ÁGUAS: RIOS e MANANCIAIS – algumas propostas:

1. Que os Sindicatos e as esquerdas adotam uma ampla plataforma ecológica. Hoje, o aspecto mais dramático da putrefação do capitalismo é a destruição da vida e do próprio planeta. E as primeiras e principais vítimas são os países pobres, os pobres dos países pobres. E só é possível reverter isso com a potência da classe trabalhadora organizada.
– na crise da água, um programa ecológico, para começar já, expropriar e reflorestar as nascentes ,mananciais, córregos, riachos, rios e represas; criar matas ciliares e impedir que qualquer qualquer tipo de esgoto ou dejetos industriais vá para rios e córregos.
Este reflorestamento deve ter pelo menos mil metros de cada margem, ou seja, pelo menos dois mil metros às margens destes mananciais;
– Por um imediato levantamento das construções ilegais em florestas, cercanias de represas, nascentes e nos remanescentes de floresta. a. Que as casas de veraneio e luxo sejam imediatamente derrubadas e a área imediatamente reflorestada; b. Que para apartamentos em condomínios e casas com menos de 100 metros um plano emergencial de transferência desses moradores para moradias financiadas pelos bancos estatais; c. no caso de moradias ;
– Por um imediato levantamento de bairros nessas mesmas áreas de mananciais que, mesmo legalizados, tenham um plano de transferência de moradias para outras áreas. Neste caso os custos devem ser dos governos.
– Que sejam terminantemente proibida a criação de gado a 20 quilômetros de qualquer nascente (o pateamento constante do gado impermeabiliza o sola e destrói nascentes, ponde em risco até grandes rios); os mesmos 20 quilômetros para criação de porcos e pequenos, em larga escala, pois os dejetos poluem nascentes, riachos e rios;

AS UNIVERSIDADES FAZEM DIAGNÓSTICOS, MAS TEM PROPOSTAS TÍMIDAS PARA ENFRENTAR A CATÁSTROFE AMBIENTAL/PLANETÁRIA. (aqui só o diagnóstico da USP São Carlos).

“Caracterizada pela riqueza de nascentes e mananciais – somente em 231 km² existem 368 nascentes catalogadas – a bacia hidrográfica de montante tem sofrido fortes impactos ambientais com a intervenção do homem. Entre os principais problemas diagnosticados, estão:
– severa contaminação fecal da água, sendo que a mesma é utilizada, sem desinfecção, na agricultura e para atividades de pesque-pague e recreação de contato primário;
– atividades econômicas impactantes, como a agricultura da batata, do morango, do café e do tomate. O cultivo nessas áreas é impróprio porque a topografia permite movimentação do solo e os agrotóxicos, utilizados em grandes proporções, acabam sendo carregados pela chuva até o rio;
– substituição da vegetação nativa de topo, de encosta e ciliar por lavouras, comprometendo os mananciais e a biodiversidade da região;
– secamento de riachos em virtude do uso indiscriminado da água para irrigação agrícola;
– contaminação do rio por substâncias químicas (fertilizantes, cloro, sulfato de cobre, etc.) utilizadas pelas indústrias e atividades agropastoris;
– despejo de esgoto e deposição de lixo, decorrente do hábito da população local em considerar os riachos como sumidouros.”. Projeto quer diminuir impacto ambiental no Mogi Guaçu
……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

LINKS

01.Estiagem atrasa a piracema em rio no interior de São Paulo, TV GLOBO, 12/12/2014
02. Rio Mogi Guaçu está com pior nível e prejudica Cachoeira de Emas em Pirassununga, TV GLOBO, 17/10/2014
03. Recuperação de peixes no Rio Mogi Guaçu pode levar 5 anos, diz Cepta
04. 15/02/2014 16h42 – Atualizado em 15/02/2014 17h04 Peixes aparecem mortos às margens do Rio Mogi Guaçu em Porto Ferreira
05. Seca prejudica período da piracema no Rio Mogi Guaçu, afirma o Cepta
06. RANCHOS NO RIO MOGI-GUAÇU NÃO DEVEM SER DEMOLIDOS
07. Projeto da EESC quer recuperar rio Mogi-Guaçu,Flávia Souza – Agência USP
08. Usina Santa Rita é multada por poluir rio Mogi-Guaçu
09. Fiscalização flagra canavieiros expostos a agrotóxicos no interior de São Paulo (multa a Usina Santa Rita)

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………


ÁGUA: RIOS e MANANCIAIS – A Light, empresa Canadense, destruiu o Rio Tietê

13/12/2014
Enchentes Morumbi SP

Nassif: Desde 2005 o Rio Tietê não passa por dragagens ou desassoreamentos! E agora, Serra??Montreal, Canadá“Desde que a Light obteve as primeiras concessões do Congresso Estadual, que atendeu aos pedidos de Alexandre Mackenzie para o uso das águas dos rios TietêGuarapiranga, prenunciavam-se as dificuldades que a decisão fragmentária iria ocasionar: enchentes, não utilização de mananciais para abastecimento público, incremento da poluição e dessa forma a impossibilidade do uso do espaço dos rios para compor espaços de lazer para a população, vocação antiga das várzeas do rio Tietê.

O sanitarista Francisco Rodrigues Saturnino de Brito – patrono da engenharia sanitária nacional – em 1905, a pedido do Secretário da Agricultura, Carlos Botelho, estudou as bacias hídricas da cidade de São Paulo e, em 1911, apresentava relatório indicando os rios Tietê e Guarapiranga como futuros mananciais destinados ao abastecimento público.” (01)

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

JÁ SABEMOS DE OUTROS CRIMES DA LIGHT E DO IMPERIALISMO CANADENSE

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Rio_Pinheiros_1929 (1)

Encontro do Rio Pinheiros com Rio Tietê, 1929.

 

“Nas décadas de 1920 e 1930, com o objetivo inicial de gerar energia, a Light desapropriou 20 milhões de metros quadrados para a realização das obras, que incluíam a execução de barragens, elevatórias e a reversão do rio Pinheiros que passaria a receber as águas do Tietê, do qual era afluente, para alimentar a Usina Henry Borden nas encostas da Serra do Mar. Desta obra, cerca de 80% das terras passaram para o poder de Light, que tinha o direito de ficar com as terras “saneadas e drenadas” regulamentado por lei.
Observou-se que no início dos tempos a várzea era um obstáculo que limitava a expansão urbana, graças às suas características naturais e físicas. Esse ganho de terras do rio direcionou sua ocupação e foi fator determinante na comercialização dos terrenos. A construção de avenidas e vias expressas que deram acesso às grandes glebas drenadas pela Light aliados ao sistema de financiamento, atraiu dezenas de empresas multinacionais a partir da década de 1970, iniciando o eixo do setor terciário do setor sudoeste da cidade.”. Onde Passava o Rio Pinheiros

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

O CANADÁ TEM QUE PAGAR!

Jardim Pantanal

Jardim Pantanal, Pior Imagem do Ando, blog de Inácio AraújoImagens do CanadáO chamado desenvolvimento capitalista fabricou as enchentes, os desmoronamentos, a degradação ambiental e dos mananciais e a falta de água.

É preciso que os responsáveis paguem por isso.
Temos que exigir reparação, por estas danos.
Um dos principais responsáveis é o Governo do Canadá.
A Light&Company, empresa do imperialismo canadense.
Que inverteu o curso do Rio Pinheiro e jogou esgotos e dejetos na represa Billings.
Que expropriou 2o milhões de metros quadrados de várzeas e lá enterrou milhões de pobres, que todos os anos, vão se afogar em enchentes, perder tudo que tem.
A solução para as enchentes e inundações de São Paulo é tirar estas milhões de habitações da várzea, onde, inevitavelmente, todos os anos, vai inundar.
E uma maneira de atenuar, rapidamente, a questão da água é usar a água estocada da represa Billings.
A Light nos sugou é foi embora. O imperialismo Canadense é modelo de prosperidade com o nosso dinheiro
O imperialismo Canadense nos meteu neste brejo e tem que pagar para nos tirar dele.
Que o imperialismo Canadá pague pelos danos que causou.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

pingback

01. ÁGUA: RIOS e MANANCIAIS – O governo joga esgoto nas represas de São Paulo
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

links

01. Nassif: Desde 2005 o Rio Tietê não passa por dragagens ou desassoreamentos! E agora, Serra??
02. Pior Imagem do Ando, blog de Inácio Araújo


ÁGUA: RIOS e MANANCIAIS – A cidade de São Paulo afogou seus rios.

13/12/2014

 

03-pinheirosRio_Pinheiros_1929 (1)billingsO chamado desenvolvimento capitalista fabricou as enchentes, os desmoronamentos, a degradação ambiental e dos mananciais e a falta de água.
É preciso que os responsáveis paguem por isso.
Um dos principais responsáveis é o Governo do Canadá.
A Light Company, empresa do imperialismo canadense.
Que inverteu o curso do Rio Pinheiro e jogou  esgotos e dejetos na represa Billings.
Que expropriou 2o milhões de hectares de várzeas e lá enterrou milhões de pobres, que todos os anos, vão se afogar em enchentes, perder tudo que tem.
A solução para as enchentes e inundações de São Paulo é tirar estas milhões de habitações da várzea, onde, inevitavelmente, todos os anos, vai inundar.
E uma maneira de atenuar, rapidamente, a questão da água é usar a água estocada da represa Billings.
A Light nos sugou é foi embora. O imperialismo Canadense é modelo de prosperidade com o nosso dinheiro
O imperialismo Canadense nos meteu neste brejo e tem que pagar para nos tirar dele.
Que o imperialismo Canadá pague pelos danos que causou.

 

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

A cidade de São Paulo se expandia rapidamente, acompanhando o aumento da produção das fazendas de café no interior do estado: o total de moradores passou de 15 mil em 1850 para 30 mil em 1870, 240 mil em 1900, 580 mil em 1920 – quando São Paulo já havia se consolidado como um polo comercial e industrial –, 1,3 milhão em 1940 e 6 milhões em 1960.

O crescimento urbano acelerado favoreceu a ocupação das várzeas, áreas naturalmente alagáveis, visadas para a construção de casas e fábricas, e o avanço sobre os braços dos rios: o córrego Saracura, afluente do Anhangabaú, foi o primeiro a ser coberto e desaparecer, em 1906.

Cada vez mais cercados, os rios transbordaram para além de seus limites naturais e as enchentes se tornaram mais intensas, frequentes e danosas, justificando ações mais radicais de retificação dos rios. No início, por meio de propostas como a do engenheiro sanitarista Saturnino de Brito, de 1926, planejava-se o alinhamento dos principais rios de modo a conciliar seus diferentes usos – transporte, lazer, pesca, abastecimento de água, controle de enchentes e produção de energia elétrica –, mas as coisas não saíram desse modo.”Mapas históricos exibem as transformações na forma e na função de rios encobertos por avenidas

“No início de 2013 a geógrafa Janaína Yamamoto Santos, diretora do núcleo de acervo cartográfico do Arquivo Público, participou de um bloco pós-Carnaval que percorreu o trajeto encoberto do córrego da Água Preta, na Pompeia.” Mapas históricos exibem as transformações na forma e na função de rios encobertos por avenidas
………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

RIO TAMANDUATEÍ
Imagens Históricas - barcos no TamanduateíRio Tamanduatéi, um bueiro a céu aberto“O rio Tamanduateí – chamado de Sete Voltas e usado no século XVII pelos moradores da então vila de São Paulo para transportar tijolos, louças, frutas e cereais, em canoas de madeira – hoje corre acanhado sob a avenida do Estado, uma das mais áridas da cidade de São Paulo. “O Tamanduateí poderia ter ciclovia e árvores, mas é apenas esgoto, é feio que dói. Tem de ser assim?”, questiona Jorge. “Todo mundo aceita que São Paulo tem de ser feia, mas não tem. Já podemos conciliar desenvolvimento urbano e estética.”Mapas históricos exibem as transformações na forma e na função de rios encobertos por avenidas

Rio Tamanduateí, enchente de 1929

Rio Tamanduateí, enchente de 1929

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

rio_tieteAo final da Rua Amambaí existia um braço do Rio Tietê conhecido pelos moradores, que o usufruíam para brincar e nadar, como Rio Velho. Depois da retificação do Rio Tietê, este braço foi aterrado por um lixão. Posteriormente, esse lixão foi desativado para dar lugar à empresa Termaco. Com o fim desta empresa instalou-se, então, o atual batalhão da Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros.
Outro braço do Rio Tietê frequentado pelos moradores da região era conhecido como “Prainha”, localizado na Vila Elza (atual Jardim Andaraí). Revista Comunitária

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Córregos subterrâneos, ‘no limite, inundam túnel do Anhangabaú

Córregos Saracura,itororó, Moringuinhos e Anhangabaú foram cobertos, como galerias de esgoto. Com as chuvas e o crescimento da velocidade da água, por conta dos arruamentos e asfaltamentos, as enchentes são um certeza.
Ver afirmações do engenheiro Júlio Cerqueira Neto, ex-diretor de planejamento do DAEE e ex-professor de hidráulica da Escola Politécnica daUSP

.…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..
nbsp;

03-pinheiros
Rio_Pinheiros_1929 (1)
r_Odette Seabra a geógrafa Odete Seabra . Em sua tese de doutorado, apresentada na Universidade de São Paulo em 1987 e hoje um estudo clássico sobre a ocupação das várzeas dos rios Tietê e Pinheiros. SEABRA, Odette C.L (1987). Meandros dos Rios nos Meandros do Poder Tietê e Pinheiros:Valorização dos Rios e das Várzeas na Cidade de São Paulo. Tese de Doutoramento em
Geografia Humana apresentada à FFLCH – USP.

 

 

 

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Estudo aponta que enchentes e deslizamentos serão mais frequentes na capital paulista

POBRES URBANOS

 

“Ocupação do solo
Hoje, cerca de 30% da população da Região Metropolitana de São Paulo, ou seja, 2,7 milhões de pessoas vivem em comunidades, cortiços e habitações precárias, quase sempre ilegais. São concentrações significativas de áreas de risco de escorregamentos localizadas na Zona Sul (Jabaquara, Cidade Ademar, Pedreira, Cidade Dutra, Jardim Ângela, Capão Redondo e Campo Limpo). Nessa região, estão concentradas mais de 50% das favelas em São Paulo.

Nas demais regiões, as áreas de risco localizam-se na Zona Oeste (Butantã e Jaguaré); na Zona Norte (Perus, Pirituba, Jaraguá, Brasilândia, Freguesia do Ó e Tremembé); e na Zona Leste (Sapopemba, São Mateus, Aricanduva, Vila Formosa, Vila Prudente e Itaquera)”

 

 

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

links

01. Inudações em São Paulo, exposição de fotos, Museu da Cidade
02. ANÁLISE: THE SÃO PAULO TRAMWAY, LIGHT AND POWER COMPANY LIMITED – O CONFRONTO ENTRE O “PROGRESSO” E O TERRITÓRIO DOS RIOS
03. São Paulo sem o Vale do Anhangabau, O Estado de São Paulo
04. Herança da ‘grande enchente’, O Estado de São Paulo


ÁGUA: RIOS e MANANCIAIS – Quem é responsável pelas enchentes em São Paulo : O CANADÁ!!!

13/12/2014

O chamado desenvolvimento capitalista fabricou as enchentes, os desmoronamentos, a degradação ambiental e dos mananciais e a falta de água.

É preciso que os responsáveis paguem por isso.

Temos que exigir reparação, por estas danos.

Um dos principais responsáveis é o Governo do Canadá.

A Light&Company, empresa do imperialismo canadense.

Que inverteu o curso do Rio Pinheiro e jogou  esgotos e dejetos na represa Billings.

Que expropriou 2o milhões de metros quadrados de várzeas e lá enterrou milhões de pobres, que todos os anos, vão se afogar em enchentes, perder tudo que tem.

A solução para as enchentes e inundações de São Paulo é tirar estas milhões de habitações da várzea, onde, inevitavelmente, todos os anos, vai inundar.

E uma maneira de atenuar, rapidamente, a questão da água é usar a água estocada da represa Billings.

A Light nos sugou é foi embora. O imperialismo Canadense é modelo de prosperidade com o nosso dinheiro

O imperialismo Canadense nos meteu neste brejo e tem que pagar para nos tirar dele.

Que o imperialismo Canadá pague pelos danos que causou.

 

Rio_Pinheiros_1929 (1)
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

“Nas décadas de 1920 e 1930, com o objetivo inicial de gerar energia, a Light desapropriou 20 milhões de metros quadrados para a realização das obras, que incluíam a execução de barragens, elevatórias e a reversão do rio Pinheiros que passaria a receber as águas do Tietê, do qual era afluente, para alimentar a Usina Henry Borden nas encostas da Serra do Mar. Desta obra, cerca de 80% das terras passaram para o poder de Light, que tinha o direito de ficar com as terras “saneadas e drenadas” regulamentado por lei.

Observou-se que no início dos tempos a várzea era um obstáculo que limitava a expansão urbana, graças às suas características naturais e físicas. Esse ganho de terras do rio direcionou sua ocupação e foi fator determinante na comercialização dos terrenos. A construção de avenidas e vias expressas que deram acesso às grandes glebas drenadas pela Light aliados ao sistema de financiamento, atraiu dezenas de empresas multinacionais a partir da década de 1970, iniciando o eixo do setor terciário do setor sudoeste da cidade.”. Onde Passava o Rio Pinheiros
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..