Música Popular Brasileira escola de sensibilidade. Aos pés da Cruz – Marino Pinto e Zé da Zilda.

11/04/2018
Uma releitura do seminário 11 de Lacan

Uma releitura do seminário 11 de Lacan

“Jacques-Alain Miller: Acertou! “Amar, dizia Lacan, é dar o que não se tem”. O que quer dizer: amar é reconhecer sua falta e doá-la ao outro, colocá-la no outro. Não é dar o que se possui, os bens, os presentes: é dar algo que não se possui, que vai além de si mesmo. Para isso, é preciso se assegurar de sua falta, de sua “castração”, como dizia Freud. E isso é essencialmente feminino. Só se ama verdadeiramente a partir de uma posição feminina. Amar feminiza. É por isso que o amor é sempre um pouco cômico em um homem. Porém, se ele se deixa intimidar pelo ridículo, é que, na realidade, não está seguro de sua virilidade.”(3) Portal Raízes

 

Música Popular Brasileira escola de sensibilidade. Aos pés da Cruz – Marino Pinto e Zé da Zilda.

Faço listas das grandes músicas brasileiras. Algumas são hits. Outras, como ‘Aos pés da Santa Cruz’ são marcos históricos da música brasileira . E quem se interessa por antropologia (os costumes), um antropologia histórica(a história dos costumes e das sensibilidades nas diferentes épocas históricas – ou seja entender os que ainda estão vivos, nossos pais e avós – como amavam, como falavam de amor…) e até uma psicanálise – pois estou com Caetano Veloso quando diz que o Brasil, mais que qualquer outro país aprendeu a amar com a Música Popular Brasileira (principalmente a partir do rádio).

Miles Davis - Aos Pés Da Cruz

Miles Davis – Aos Pés Da Cruz

E segundo Lacan, que eu descobri avant le lettre (antes de lê-lo) que amar é falar de amor. Quem não fala não tem qualquer chance de amar e muito menos de ser amado. Por isso vivo fazendo listas e ouvindo a música popular brasileira. E fazendo listas da música popular do mundo inteiro. E repito as várias versões, pois são várias maneiras de falar, o que muda, às vezes, a própria coisa falada. E antes de mais nada, considero que o conhecimento só advém da fala, da repetição da audição e da fala. Nem acredito em qualquer conhecimento sem repetição.

João Gilberto - Aos Pés da Cruz

João Gilberto – Aos Pés da Cruz

Verdade Tropical, primeira edição

Verdade Tropical, primeira edição

Então vai um lista aí de uma grande música história do Disco Chega de Saudades, iniciador da Bossa Nova – uma forma muito nova de cantar e também de tocar o violão – ou seja, uma outra forma de samba, uma evolução do que já era grandioso.http://nossabrasilidade.com.br/aos-pes-da-cruz/
Acho que li em “Verdade Tropical de Caetano Veloso. De qualquer forma, “Verdade Tropical” é sobre a sensibilidade do brasileiro e sua relação com a canção popular: “Porém, é também um livro sobre a importância da música na composição do mito brasileiro, e uma reflexão profunda sobre a arte e vida durante o período de ditadura militar.”https://observador.pt/…/AMaBXymPF4ZNV2zYcsCZ17ks40dmJM73Lvy…

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Marino Pinto (Marino do Espírito Santo Pinto)

Centenário de Marino Pinto, portal de Luís Nassif

Centenário de Marino Pinto, portal de Luís Nassif

* 18/07/1916 – Bom Jardim (RJ)
+ 28/01/1965 – Rio de Janeiro (RJ)

Marino Pinto foi possuidor de um admirável talento musical, prova disso são as suas centenas de composições elaboradas ao longo da sua vida.

Nascido em 1916, em Bom Jardim (RJ), não esquentou lugar na sua terra natal, seguindo para o Rio de Janeiro, onde as escolas eram bem mais equipadas, a exemplo do Mosteiro de São Bento, onde estudou e, posteriormente, na Faculdade de Direito, a qual abandonou por convicção que a música estava em suas veias.(1)

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Zé da Zilda e Zilda do Zé - PRA DAR CONFORTO A ELA - samba de Zé e Zilda Gonçalves - ano de 1951 - YouTube

Zé da Zilda e Zilda do Zé – PRA DAR CONFORTO A ELA – samba de Zé e Zilda Gonçalves – ano de 1951 – YouTube

“Em 1940, participou da gravação de Leopold Stokowski no navio Uruguai, para o álbum de música brasileira editado nos EUA pela Columbia. No ano seguinte compôs, com Marino Pinto, o samba Aos pés da cruz, gravado por Orlando Silva na Victor com grande sucesso.” (2)

Outras composições famosas:

“Não quero mais (Não quero mais amar a ninguém) (c/ Cartola e Carlos Cachaça), samba, 1937;”(2)

https://play.google.com/music/m/Tbwmlxpyr5ja6kkhwpedhfkuy3i?t=Nao_Quero_Mais_Amar_Ninguem_-_Carlos_Cachaca

Zilda do Zé & Zé da Zilda em tempos felizes.

Zilda do Zé & Zé da Zilda em tempos fe

 

 

 

 

 

 

 

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Anúncios

Catálogo Biblioteca Mário

28/12/2001

Catálogo Biblioteca Mário

I. Literatura Brasileira
…..ANDRADE, Oswald …..
…..HILST, Hilda….
…..BRAGA, Rubem ….
….. ASSIS, Machado ….
….. CONTOS (coletâneas) ….

 

II. Literatura Estrangeira
…..DOSTOIÉVSKI, Fiódor …..
VII – Artes Plásticas
****Caricaturas e Charges****
****Grafites****
****Xilogravuras****
XIX – Mente Dolorosa

XXIII – Crime
****Tortura****