Gatinho azul da Liberdade e Luta E o poema sujo de Ferreira Gullar – e os rituais laicos “nacionais e populares” de Trotsky.

02/04/2018

um bicho que o universo fabrica
e vem sonhando desde as entranhas

Poema Sujo, Ferreira Gullar, capa da primeira edição.

Poema Sujo, Ferreira Gullar, capa da primeira edição. Editado em 1976.

azul
era o gato
azul
era o galo
azul
o cavalo
azul
teu cu

319-deangle-dan-c-do-marfim-3 - Memória e Altar- coleção Rogério Cerqueira Leite

Meu comentário.

Naqueles anos me incomodava muito saber que tinha esta frase no Poema Sujo de Ferreira Gullar. Comprei o livrinho porque minha musa, meu amor platônico, era uma militante que amava este poema. Eu amava era Castro Alves, uma coisa ridícula para os padrões da Liberdade e Luta. Hoje acho o poema de Ferreira Gullar do cacete e volto a ler Castro Alves com toda a revolta dos meus 16 anos.
……………………………………………………………………………………

São os stalinistas que vão chamar Liberdade e Luta de Libelu. Libelu era a designação

Oficina, Macumba Antropófaga, SESC-Campinas (32)

Oficina, Macumba Antropófaga, SESC-Campinas (32).JPG

para gente festeira e inconsequente. Socialismo de festa e de orgia sexual. E  da droga, apesar de os militantes da OSI, que dirigiam a tendência liberdade e Luta ,serem expulsos ou excluídos se usassem droga. E mesmo hoje, Libelu, é uma maneira de desmerecer toda a importância que teve aquele pequeno grupo por colocar no debate a necessidade de lutar pelas “Liberdades Democráticas” e depois por um Partido Operário Independente e depois pela Assembléia Constituinte Livre e Soberana. Foram propagandas que causaram impactos, apesar do grupo minúsculo que era a OSI.
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

“No plano da arte gráfica é possível aprendermos com a criatividade revolucionária que a LIBELU possuía. Enquanto que os stalinistas confeccionavam cartazes com foices, martelos e figuras cinzas, assexuadas e uniformizadas, a LIBELU desenhava no centro do seu cartaz um gatinho. Abaixo da imagem do pequeno felino surgia a seguinte frase: NEM TODOS OS GATOS SÃO PARDOS. Ou seja, existe diversidade (estética, sexual étnica, filosófica, etc) e o marxismo precisa lidar de modo revolucionário com esta questão. A atitude criativa da LIBELU”

Gatinho azul da Liberdade e Luta

Gatinho azul da Liberdade e Luta.

Será possível ignorar ” o nacional e popular”? – E a vida como é que fica?

“Que opor-lhe? Opomos, é certo, às superstições em que assenta a base do ritual, a critica marxista, a relação objectiva com a natureza e as suas forças. Mas esta propaganda cientifica e critica não resolve o problema: desde logo, porque não atinge ainda, nem atingirá durante longo tempo, mais do que uma minoria de pessoas; depois, porque essa própria minoria sente a necessidade de encarecer, de elevar, de enobrecer a sua vida pessoal, pelo menos nos momentos mais importantes.”(7)

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

lavadeira do abaeté -JOSÉ PANCETTI

lavadeira do abaeté -JOSÉ PANCETTI. “sem musa aqui não fico Odorico”

“Sem musa aqui não fico Odorico”
Frase atribuída da José Pancetti, quando foi para a Bahia a convite de seu amigo Odorico Tavares. Outra frase atribuída a Pancetti, que era chamado de comunista. “Partido Comunista me explora”.
As musas não morreram, a arte figurativa também não – é só olhar os muros das grandes cidades. Nem mesmo as vanguardas morreram.Mesmo a arte comtemporânea tem algo de figurativo e até utilitário.(2) Tudo ao mesmo tempo agora.
…………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Os rituais laicos. “O Nacional Popular” não morreu e não deve morrer.

careta de Cazumbá, Maria Mazzillo-pg.51

careta de Cazumbá, Maria Mazzillo-pg.51

Vivemos hoje o crescimento de seitas evangélicas. A maioria apoia a direita. Todas elas atacam a cultura popular do Brasil. Em particular a Umbanda que os pentencostais, maioria destas seitas, atacam. Até mesmo alguns militantes atacam a Umbanda, assentando seus argumentos num pretenso purismo do Candomblé.
O que não podemos esquecer é que grandes manifestações populares são influenciadas pela Umbanda e semelhantes. O Maracatu rural e seus cantos da jurema. Aqui a Umbanda recupera a mata e a cultura indígena.

Reisado de Caretas, por Samuel Macedo

Reisado de Caretas, por Samuel Macedo

Na festividade de reis, os caretas do Reisado, dançam cantam e principalmente contam todas a mentiras possíveis para despistar os soldados de Herodes que procuram o menino Jesus. Uma festa religiosa, com bebida, música e mentiras. E máscaras.E sobem nos telhados, gritando que “vão fazer coco” e outras frases escatológicas, para atrapalhar a reza.
“A Gente brincava cinquenta, sessenta cazumbas num terreirão bonito, todos com caretas simples…
“Na hora da reza, pra atrapalhar o rezador, a gente fazia essas estripulias. Enquanto o pessoal tava rezando a gente tava fazendo toda essa macacagem. Trepava no alto do barracão, arrancava palha, gritava que queria fazer cocô” – idem pág. 28″(10))

Artesão Abel Teixeira - Foto Neidson Moreira (O Imparcial)

Artesão Abel Teixeira – Foto Neidson Moreira (O Imparcial) (Maranhão de Amanda)

No Bumba-meu-boi do Maranhão os cazumbas, mascaradas e paramentados, também vão na contramão da normalidade. Quando estão com a máscara, pais-de-família, ou crianças e mulheres, fazem a maior algazarra, brincam com os passantes, fazem disputas entre si, fingem brigar. Ao tirarem a máscara voltam à “seriedade” e ao bom comportamento.(5)

Foto de Caetano Veloso foi publicada nas redes sociais pelo coletivo Mídia Ninja

Foto de Caetano Veloso foi publicada nas redes sociais pelo coletivo Mídia Ninja

Além do mais as máscaras podem ser reatualizadas em momentos cruciais da nossa história. E provocar debates importantes. E quem diz que não podemos e devemos burlar a democracia, este momento privilegiado de luta, mas também do exercício supremo da sociedade de controle e controladora.
“É uma violência simbólica proibir o uso de mascaras. Dia 7 de setembro, todos deveriam ir às ruas mascarados”, disse Caetano, segundo o Mídia Ninja. O coletivo jornalístico divulgou informações sobre o encontro com o compositor em suas páginas no Facebook e no Twitter.(6)
……………………………………………………………………………………………………………………………………………..

jurema entidade de umbanda de origem indígena.(4)

Maracatu Cambinda Brasileira desfilou em sua cidade natal, Nazaré da Mata,

Maracatu Cambinda Brasileira desfilou em sua cidade natal, Nazaré da Mata-Pernabuco.

O município de Nazaré da Mata, em Pernambuco, capital do Maracatu de Baque Solto
“Dona Biu, uma das remanescentes da família fundadora, também falou sobre o que mantém a agremiação de pé. “Depois de Deus, Rei Salomão e a Jurema Sagrada”, disse referindo-se à religião predominante no maracatu de baque solto. O Cambinda Brasileira desfila na passarela oficial da cidade do Recife, nesta terça-feira (13), onde disputará o título do Carnaval 2018.”(3)
………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

link

link

(1).MARANHÃO DE AMANDA(Não é o de Zé Sarney que seria odiável. É o Maranhao de Amanda que é amorável, amável, digno de ser amado.. Significado do Nome Amanda
Amanda: Significa “digna de amor”, “amável”, “aquela que deve ser amada”.

(2)- Parangolés e Penetráveis: a influência japonesa em Hélio Oiticica.
(3)- Maracatu Cambinda Brasileira desfilou em sua cidade natal, Nazaré da Mata, nesta segunda-feira (12)-por Paula Brasileiro
(4)- TORÉ E JUREMA: EMBLEMAS INDÍGENAS NO NORDESTE DO BRASIL – Rodrigo de Azeredo Grünewald
(5)careta de CAZUMBA (livro)
(6)- Caetano Veloso cobre rosto e divulga apoio a máscaras em protestos no RJ
(7)- Questões do Modo de Vida-Leon Trotsky
(8)- A crítica de arte hoje, Ferreira Gullar
(9)- PEDRO VERMELHO, de “UM RELATÓRIO PARA UMA ACADEMIA” , um conto de Kafka
Um grafiteiro que leu Franz Kafka.

(10)- careta de CAZUMBA (livro)-29/03/2018

Anúncios

jazz – Jeanne Lee: “dona de uma sublime voz de contralto”

01/04/2018

Jeane Lee - ConspiracyPreciosidade conhecida por poucos, segundo Carlos Calado(1)
“… Dona de uma sublime voz de contralto, com um timbre que parece se misturar com o ar que sai de seus pulmões, essa intérprete norte-americana… criou uma aproximação bem pessoal entre o jazz moderno e a vanguarda.”(1)


“Não foi à toa que o crítico nova-iorquino Ben Ratliff incluiu o álbum “The Newest Sound Around” (RCA/BMG, 1961), que Jeanne Lee gravou com o pianista Ran Blake, entre as 100 gravações mais importantes desse gênero, … Basta ouvir as releituras originalíssimas que ela criou para clássicos do jazz e da canção norte-americana, como “Summertime” (Gershwin & Heyward), “Laura” (Mercer & Raskin) ou “Lover Man” (Davis, Sherman & Ramirez), para se apaixonar por sua voz”(1)

…………………………………………………………………………
link

1. Música de Alma Negra, Carlos Calado, Jeanne Lee


Pretérito Imperfeito, livro de B. Kucinski

01/04/2018
KUCINSKI, B. - Pretérito Imperfeito

KUCINSKI, B. – Pretérito Imperfeito – indicação de Amanda

Síndrome da Mãe Morta – Winnicott

Uso de droga, autodestruição, roubo, prisões…

FICÇÃO – AUTOBIOGRAFIA – OU UM CASO ……

UMA CARTA ESCRITA PELO PAI, MAS NÃO REVELADA AOS LEITORES

Carta ao meu pai de Kafka, uma referência

Trechos do romance

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………

“A Síndrome da mãe morta não consta no catálogo universal das doenças. É uma construção teórica do psicanalista francês André Green que identificou situações em que a criança perde subitamente o afeto da mãe sem que outra a substitua, como ocorre quando a mãe cai em depressão. Ela está lá, mas no imaginário da criança é como se estivesse morta. A criança sofre a catástrofe psíquica, essa é a palavra que o francês usa: catástrofe. Algumas dessas crianças ficarão psicóticas ou esquizofrênicas, mostra outro psicanalista, o americano Bruce Perry, em seu impressionante relato sobre crianças traumatizadas, The Boy who was raised as a dog” —————————- KUCINSKI, B. – Pretérito Imperfeito – Cia. das Letras, 2017 – p. 47″

GREEN, André - O Desligamento

Citado por B, Kucinski em Pretérito Imperfeito. Para o conceito de André Green , “Síndrome da mãe morta”.

The Boy Who Was Raised as a Dog, Bruce Perry

The Boy Who Was Raised as a Dog, Bruce Perry

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

“Questiono-me se o impulso autodestrutivo não estava dentro dele desde a infância, sem que soubéssemos, sem que ele próprio soubesse, dentro daquele eu inacessível que Winnicott chamava de “verdadeiro eu”. Se assim for, certamente tentará outra vez e mais outra até conseguir. Passei angustiado as catorze horas da travessia” ——————————————— KUCINSKI, B. – Pretérito Imperfeito, Cia. das Letras, 2017-pág.101

……………………………………………………………………………………………………………………….. foto 2 – Aula do módulo “A clínica do vazio em Winicott” da Escola Paulista de Psicanálise-EPP.https://www.youtube.com/watch… 1. capa do livro de B. Kucinski.

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Resenhas

“E é essa a história que lemos na nova ficção de Kucinski – que de ficção, diz o autor, só tem alguns elementos acessórios. “A essência é real: coisas acontecidas e que ainda estão acontecendo”, conta.” (3)
” protagonista leu os manuscritos. “Leu com dificuldade. Parou, voltou. Apoiou a publicação. Pode ser que isso tudo ainda tenha algum efeito que a gente não sabe porque suscita coisas ruins que estavam esquecidas, mas ter escrito, e ele ter lido, nos ajudou.”(3)
………………..

FICÇÃO – AUTOBIOGRAFIA – OU UM CASO ……
“A carta, por exemplo, é pura invenção”, diz Kucinski,…”…””Foi de fato um aprendizado” afirma o escritor, “que eu achava importante compartilhar”.

Além dos tormentos e das peripécias decorrentes do drama familiar, que se passam em vários países, o narrador volta-se para suas próprias tentativas de encontrar explicações e entender o que estava acontecendo –o que inclui leituras de artigos especializados e consultas a psiquiatras.

Por envolver situações reconhecíveis e delicadas, Kucinski pensou inicialmente em assinar o livro com um nome falso.”(4)
…………………..

UMA CARTA ESCRITA PELO PAI, MAS NÃO REVELADA AOS LEITORES

“Pretérito imperfeito [Companhia das Letras, 2017, 151 p.; R$ 39,90, em média; leia um trecho] parte de uma carta escrita pelo pai (mas não revelada aos leitores), desresponsabilizando-se do filho problemático (no fundo, nunca se desliga por completo), a busca frenética deste pelos prazeres proporcionados por estados alterados de consciência (seja lá a substância que se use para obtê-los – ou, antes, com o que quer que se pague para obter estas substâncias), a cruzada em busca de regeneração, recaídas, passagens por presídios e centros de reabilitação.”(6)
………………………………………………………………………

Carta ao meu pai de Kafka, uma referência

319-deangle-dan-c-do-marfim-3 - Memória e Altar- coleção Rogério Cerqueira Leite

Meu comentário.

“A carta ao meu pai”, de Kafka, nem mesmo foi enviada. E talvez aí resida seu poder de verdade, que afasta a auto-censura. Não sei se Kafka pretendia entregar a carta a seu pai. Kucinski entrega o livro para o personagem, seu filho adotivo, que aprova a publicação. Todas as várias vezes que li a “Carta ao meu pai”, de Kafka, minha sempre reforça minha convicção que Kafaka já escreveu para não entregar, ou seja, a carta de Kafka ao pai não tinha nenhum propósito a não ser literário. Pelo livro de kucinski, confessadamente auto-biográfico, e uma exceção seria a carta, ‘mas não revelada aos leitores’, nem mesmo então foi revelada ao filho, talvez para não atrapalhar o propósito do livro, que parace a última tentativa de sensibilizar o filho. As últimas páginas do livro é uma exposição do desejo de que seu filho regenere, ou seja, a ruptura afetiva não foi completa, como parecia narrar o livro.
Refletindo, hoje, depois de semanas da leitura do livro, acho que se houvesse alguma expectativa para esta “criança adotada” seria ela mesma transformar toda esta experiência em literatura. Seria para além da expectativa que escreve uma carta ao meu pai, ou a meus pais. E acho que, como Kafka, só devia publicar depois da morte de seu pai escritor/confessor.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

links

(1).  citação do livro Pretérito Imperfeito, de Bernardo Kucinski
(2).Citação do Livro de B. Kucinski, Pretérito Imperf(eito.

ESCRITOR BERNARDO KUCINSKI

ESCRITOR BERNARDO KUCINSKI. Escritor de Pretérito Imperfeito. Fez 80 anos, segundo artigo de Maria Fernanda Pereira.

(3). Em novo livro, B. Kucinski fala sobre a relação com o filho adotivo e sua jornada de autodestruição-‘Pretérito Imperfeito’ narra história real e de grande aprendizado para o escritor – Maria Fernanda Rodrigues, O Estado de S.Paulo-04 Dezembro 2017 | 06h02f

KUCINSKI, B. - Pretérito Imperfeito

KUCINSKI, B. – Pretérito Imperfeito – indicação de Amanda………………………….Muitas vezes, me perguntei: para que serve um filho desses? Se eu fosse crente, diria que veio ao mundo para nos pôr à prova. Desperdiçou todos os talentos. Deturpou todos os sentimentos. Fingiu afeição aos pais quando quis dinheiro, fingiu lealdade a amigos quando precisou de um teto. Cedo ou tarde, todos o abandonam. Seguem sua vida e o deixam para trás como a um traste. Tornou-se tão insignificante que, se deixasse subitamente de existir, apenas nós –seus pais– perceberíamos. O homem pode existir de muitas formas e pode sempre mudar a forma de existir; porém o tempo de uma existência é limitado. Metade de seu tempo se foi. Por isso, me pergunto: para que serve um filho desses? Capítulo 54 de ‘Pretérito Imperfeito’, quinto livro de ficção de B. Kucinski

(4) . MARCOS AUGUSTO GONÇALVES DE SÃO PAULO-09/12/2017 02h00 – UOL/FSP

262-mc3a1sc-we-c-do-marfim-5 - Coleção Rogério Cerqueira Leite

Jornal do Porão ……. Jornaldoporao.wordpress.com

(5) 262-mc3a1sc-we-c-do-marfim-5 – Coleção Rogério Cerqueira Leite. …. Máscaras Africanas para o jornaldoporao. CIVILIZAÇÕES AFRICANAS: Memória e Altar: apontamentos 01-LINKS APARA ALGUNS TEXTOS SOBRE ARTE AFRICANA
(6). Bernardo Kucinski cogitou utilizar pseudônimo para o seu novo romance, FSP


CAZUMBÁ – CAZUMBA, Bumba-meu-boi do Maranhão.

28/03/2018
CAZUMBA GRANDE - do artigo 'O Misticismo dos Cazumbas' - post jornaldoporao

Maranhão de Amanda. Do artigo ‘O Misticismo dos Cazumbas’.

……………………………………………………………………………………………………………………………………………..

link

1. O Misticismo dos Cazumbas :

Frases retiradas do Artigo (1):

“Ligados ao lado místico do bumba meu boi, os cazumbas são personagens encontrados, mais comumente, nos grupos de sotaque da baixada. Alguns atribuem a eles a função de “varrer” o terreiro antes da chegada boi, expulsando, assim, os maus espíritos”(1)

“De acordo com a pesquisadora e professora da Universidade Federal do Maranhão, Elisene Castro Matos…“Eles não se veem com este caráter mais voltado para o espiritual, como costumamos pensar. É claro que o uso da máscara favorece. Ali eles se sentem protegidos. De uma maneira geral, o uso das máscaras sempre desperta a imaginação das pessoas”, destaca a pesquisadora.” (1)

 “O cazumba é também um dos personagens mais livres e que mais interagem com as pessoas. “Eles gostam de brincar com as crianças, de chamar o povo para a roda e até mesmo de assustar com suas caretas”, diz Nadir Cruz. Em décadas passadas, no entanto, esta função era mais acentuada. “Eles chegavam a rolar no chão, faziam muitas estripulias”, diz Elisene Castro.” (1)

“Além da careta, o cazumba traz consigo o chocalho, responsável por marcar o passo da dança e alguns, em especial nos bois dos municípios da Baixada, têm ainda uma espingarda de madeira. Para dar movimento aos quadris usam, por baixo da roupa, um cesto ou cofo de palha amarrado à cintura.”(1)

“Já no Boi da Floresta, a participação feminina é maior. Dos 28 cazumbas, pouco menos da metade é mulher. “De uma forma geral, não há preconceito. Embora a maioria ainda seja de homens, as mulheres participam e isso é algo que não se pensava em anos atrás”, diz Nadir Cruz, do Boi da Floresta.”(1)


CUSPIDO E ESCARRADO – Expressões, 2

10/10/2017
cuspido e escarrado

origem controvertida.

“Um número bem menor de pessoas conhece a contestação que os estudiosos brasileiros de expressões populares costumam fazer dessa tese tão disseminada. Em vez de “esculpido em Carrara”, alegam eles, a expressão corrompida pela fala popular foi “esculpido e encarnado”, isso sim. O filólogo Antenor Nascentes colheu essa hipótese no primitivo gramático português Duarte Nunes de Leão e lhe deu um belo impulso em seu “Tesouro da fraseologia brasileira”. Nascentes é a fonte provável do sucesso que a tese “esculpido e encarnado” faz hoje entre praticamente todos os divulgadores da matéria, do Mário Prata do livro “Mas será o Benedito?” ao Reinaldo Pimenta de “A casa da mãe Joana”.”(1)
……………………………………………………………………………………………………………………………………………..

CUSPIDO E ENCARNADO

” Não é muito diferente o que deve ter acontecido com o “cuspido e escarrado”, de extração popular, na atualidade, e que nada mais é do que a antiga expressão “esculpido e encarnado”, da qual se originou. Ora, dizer que o filho é o pai esculpido faz sentido. Você não acha? Em uma escultura pode-se tentar a reprodução de uma figura qualquer, sendo o filho, então, comparado a uma escultura do pai, uma cópia em carne e osso. E ainda mais com o reforço de encarnado, que aqui não significa “vermelho”, mas que “encarnou”, que tem a imagem de, que se parece com.”(2)
…………………………………………………………………………………………………………………………………………….

CAGADO E CUSPIDOCagado e cuspido

“A origem da expressão “cagado e cuspido” – muito usada para enfatizar a semelhança de uma pessoa com outra “(3)
……………………………………………………………………………………………………………………………..
tout craché

“O primeiro registro conhecido da ligação entre o cuspe e a semelhança física ocorre no francês do século XV, segundo o Trésor de la Langue Française, com a expressão tout craché, “totalmente cuspido”. As razões dessa associação têm algo de nebuloso, mas, de acordo com o mesmo dicionário, relacionavam-se provavelmente “ao fato de que a ação de cuspir pode simbolizar o ato da geração”, numa associação simbólica entre o cuspe e a ejaculação.”(1)
“Nascentes é a fonte provável do sucesso que a tese “esculpido e encarnado” faz hoje entre praticamente todos os divulgadores da matéria, do Mário Prata do livro “Mas será o Benedito?” ao Reinaldo Pimenta de “A casa da mãe Joana”.”(1)


…………………………………………………………………………………………………………………………………………….

‘spit and image’ (cuspe e imagem)

Bible cartoon

 

“Já no dicionário Oxford, o termo em inglês surgiu no início do século XVII – ‘spit and image’ (cuspe e imagem), da ideia de uma pessoa ter sido criada a partir do cuspe de uma outra, dada a semelhança entre elas.”

…………………………………………………………………………………………………………………………

links

1.A verdadeira história da expressão ‘cuspido e escarrado’
2 – Cuspido e escarrado
3 – Origem da expressão “cagado e cuspido”
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..


PEDRO VERMELHO, de “UM RELATÓRIO PARA UMA ACADEMIA” , um conto de Kafka

31/07/2017

Um grafiteiro que leu Franz Kafka.

16.05.17-J.B.Dunlop-Av (1)

16.05.17-J.B.Dunlop-Av/GRAFITE// foto de Mário Martins de Lima////////////PEDRO VERMELHO, de “UM RELATÓRIO PARA UMA ACADEMIA” , um conto de Kafka

/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

“Justamente a renúncia a qualquer obstinação era o supremo mandamento que eu me havia imposto; eu, macaco livre, me submeti a esse jugo”

///////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

” Li recentemente num artigo de algum dos 10 mil cabeças-de-vento que se manifestam sobre mim nos jornais, que minha natureza de símio ainda não está totalmente reprimida; a prova disso é que, quando chegam visitas, eu tenho predileção em despir as calças para mostrar o lugar onde aquele tiro entrou”

/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

” Dito de passagem: é muito freqüente que os homens se ludibriem entre si com a liberdade. E assim como a liberdade figura entre os sentimentos mais sublimes, também o ludíbrio correspondente figura entre os mais elevados. Muitas vezes vi nos teatros de variedades, antes da minha entrada em cena, um ou outro par de artistas às voltas com os trapézios lá do alto. Eles se arrojavam, balançavam, saltavam, voavam um para os braços do outro, um carregava o outro pelos cabelos presos nos dentes. “Isso também é liberdade humana”, eu pensava, “movimento soberano”. Ó derrisão da sagrada natureza! Nenhuma construção ficaria em pé diante da gargalhada dos macacos à vista disso.Não, liberdade eu não queria.”    

//////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

” Se chego em casa tarde da noite, vindo de banquetes, sociedades científicas, reuniões agradáveis, está me esperando uma pequena chimpanzé semi-amestrada e eu me permito passar bem com ela à maneira dos macacos. Durante o dia não quero vê-la; pois ela tem no olhar a loucura do perturbado animal amestrado; isso só eu reconheço e não consigo suportá-lo. Seja como for, no conjunto eu alcanço o que queria alcançar. Não se diga que o esforço não valeu a pena.

//////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

links

(1) UM RELATÓRIO PARA UMA ACADEMIA , um conto de Kafka
( 2) audiolivro – “Relato a uma Academia” – Franz Kafka


Basquiat, Picasso e as máscaras africanas

01/07/2017
Jean-Michel-Basquiat, autoretrato

Jean-Michel-Basquiat, autoretrato

“Até mesmo o chumbo, o mais barato dos metais, transformado em figura pelas mãos de Fídias ou Praxiteles será tido como mais valioso que a prata.”/////////////”“Talvez não se encontre arte de algum valor que não tenha vínculo com a pintura, de tal forma que se pode dizer que toda beleza que se encontra nas coisas nasceu da Pintura“(1) Leia mais no Jornal do Porão
A arte e o mercado da arte – equação difícil de resolver, ou insolúvel.

/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Jean-Michel Basquiat (1960-1988), ...

Jean-Michel Basquiat (1960-1988),

Artista iniciou trajetória nos anos 1970 como grafiteiro nas ruas de Nova York e alcançou grande projeção no mundo das artes nos anos 1980

Segundo informação divulgada nesta quarta-feira, 18, o Masp (Museu de Arte de São Paulo) prepara para 2018 uma exposição dedicada à obra do norte-americano Jean-Michel Basquiat (1960-1988), com cerca de 40 trabalhos entre pinturas e desenhos.

////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Banda U2 venderá quadro de Basquiat

Banda U2 venderá quadro de Basquiat

“Banda U2 venderá quadro de Jean-Michel Basquiat
Com preço inicial estipulado de US$ 8 milhões a US$ 12 milhões, obra será leiloada em Londres”(2)
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////


“Não seria difícil encontrar nessa arte africana alguns elementos de aproximação com os de correntes da arte ocidental, do naturalismo ao abstracionismo. Mas esse tipo de comparação não é capaz de desvendar o verdadeiro sentido da arte africana tradicional, porque esta não foi feita para ser realista ou cubista, isto é, ela não era um exercício de reflexão sobre a forma, ou sobre a matéria, como nas artes plásticas entre nós. Apesar disso, pode-se identificar na arte africana os elementos que permitiram a artistas, como Picasso, a revolucionar a arte ocidental”.Cultura material e História
Formas de Humanidade, Museu de Arqueologia e Etimologia, USP
(3)
MAIS EM: Memória e Altar. Apontamento 02 – CULTURA MATERIAL AFRICANA: arte ou não arte? – Jornal do Porão
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
David Bowie’s art fetches £24m in first round of sale
(5)

Jean-Michel Basquiat_s Air Power is removed from a plinth by Sotheby_s staff after its sale. Photograph, Peter Nicholls,Reuters

Jean-Michel Basquiat_s Air Power is removed from a plinth by Sotheby_s staff after its sale. Photograph, Peter Nicholls,Reuters