Sinningia magnifica. Monte Verde-MG. 01.01.2013

04/03/2017
122

Sinningia magnifica. Monte Verde-MG. 01.01.2013. ////////// Este “magnifica” nunca me deixou dúvida que é pura verdade.

As bordas das folhas e o caule da mesma cor da flor me deu esta ideia de magnífica. Da própria foto a pessoa muito querida aí retratada; o cenário de pedras; pedras e plantas – falta a água.

Anos fiquei à procura da classificação desta planta e a consequente comparação com suas “irmãs” – as Sinningia’s. Que são flores de beija-flor – uma das minhas maiores afeições na natureza, as plantas que atraem beija-flores.

Links:

  1.  A foto – Jardim Botânico de Poços de Caldas: https://fotografoedersongodoy.blogspot.com.br/2015/04/colecao-de-geseneriaceae.html
  2. REVISTA DO JARDIM BOTÂNICO DE POÇOS DE CALDAS: http://jardimbotanico.pocosdecaldas.mg.gov.br/node/714

//////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

sinningia-magnifica-otto-a-dietr-wiehler

“A família Gesneriaceae é composta por cerca de 140 gêneros e 3.500 espécies. No Brasil existem cerca de 22 gêneros e 220 espécies (Barros et al, 2010). No planalto de Poços de Caldas, até o momento foram encontradas e identificadas seis espécies pertencentes na grande maioria ao gênero Sinningia, sendo apenas uma espécie ainda não identificada, porém, todas já estão incorporadas a nova coleção.
Naturalmente a família ocorre em ambientes rupestres, campos e áreas úmidas, representada por ervas, arbustos terrestres e epífitos, tendo alguns gêneros bem exigentes quanto à preservação ambiental, o que explica o fato de várias espécies fazerem parte da lista de espécies ameaçadas de extinção, conforme CNCflora/ IUCN e a Lista da Flora Ameaçada de Extinção de Minas Gerais. Um bom exemplo é a Sinningia striata, que é descrita como vulnerável e descrita como endêmica de Minas Gerais. Esta espécie é comum emm formações rochosas da região acima de 1400m de altitude.”https://fotografoedersongodoy.blogspot.com.br/2015/04/colecao-de-geseneriaceae.html.

//////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Sinningia Striata – que corre risco de extinção segundo texto e link acima.


FOTOS SESC CAMPINAS

19/07/2014

(Todas as fotos podem ser vistas em tamanho maior clicando sobre elas)
014
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..013
………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..027
………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..044
………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..031
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..001008010044015032

014


FLOR NO ASFALTO. A banalidade comovente.

25/06/2014

018

019022006015

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………
NO OUTRO DIA OS GARIS DA PREFEITURA JÁ TINHAM ARRANCADO E ENSACADO NUM SACO PRETO.

……………………………………………………………………………………………


TRIANON andanças em são Paulo

14/03/2013

Trianon I

MASP, março 2013

MASP, março 2013

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

FAUNO, de Victor Brecheret

Fauno, Vitor Brecheret, Trianon, março 2013 (8)

Fauno, Vitor Brecheret, Trianon, março 2013 (8). Fotos Mário Martins de Lima

Sobre o Fauno, de Victor Brecheret

01. Paulistanos Ilustres Ilustrados, por Paulo CarusoFauno, de Victor Brecheret, por Paulo Caruso
02. Obra foi transferida para o Trianon por conta da pressão da Igreja Católica
03. Monumentos de São Paulo
04.Inventário de Obras de Arte em Logradouros Públicos da Cidade de São Paulo:Fauno
05. Obra Pública – O Fauno de Victor Brecheret, VÍDEO YOUTUBE.Trabalho para Linguagem Audiovisual, Universidade Belas Artes

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

PAN e FAUNO

“Queria falar mais; mas Syntrix, pouco sensível àquelas palavras, deitou a correr, e já chegara perto do rio Ladon, seu pai, quando, vendo-a detida, rogou às ninfas, suas irmãs, que a acudissem. Pã, que lhe saíra no encalço, quis abraçá-la, mas em vez de uma ninfa, só abraçou caniços. Suspirou e os caniços agitados emitiram um som doce e queixoso. O deus, comovido com o que acabava de ouvir, pegou alguns caniços de tamanho desigual e, unindo-os com cera, formou a espécie de instrumentos que se chama syrinx e que constitui a flauta de sete tubos, transformada em atributo de Pã.”Nascimento de Pã.

“Pã foi muitas vezes confundido na literatura latina com Fauno e Silvano. Muitos autores os consideravam como um só divindade com diferentes nomes. As Lupercais eram mesmo celebradas em tríplice honra desses gênios. Entretanto Pã é o único de quem se fez alegoria e que foi considerado como um símbolo da Natureza, conforme a significação do seu nome. Dizem os mitólogos que os seus chifres representam os raios do Sol; a vivacidade de sua tez exprime o fulgor do céu; a pele de cabra estrelada que usa sobre o estômago representa as estrelas do firmamento; enfim os seus pés e as suas pernas eriçados de pêlos designam a parte inferior do mundo, – a terra, as árvores e as plantas.” Nascimento de Pã.
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Fauno, Vitor Brecheret, Trianon, março 2013 (1)

Fauno, Vitor Brecheret, Trianon, março 2013 (2)

Fauno, Vitor Brecheret, Trianon, março 2013 (3)

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

flauta de pã

” O deus, comovido com o que acabava de ouvir, pegou alguns caniços de tamanho desigual e, unindo-os com cera, formou a espécie de instrumentos que se chama syrinx e que constitui a flauta de sete tubos, transformada em atributo de Pã”

Leia mais:http://www.mundodosfilosofos.com.br/pa.htm#ixzz2NXPEWfFU

Fauno, Vitor Brecheret, Trianon, março 2013 (4)

Fauno, Vitor Brecheret, Trianon, março 2013 (5)

Fauno, Vitor Brecheret, Trianon, março 2013 (6)

Fauno, Vitor Brecheret, Trianon, março 2013 (7)

Fauno, Vitor Brecheret, Trianon, março 2013 (8)

Fauno, Vitor Brecheret, Trianon, março 2013 (9)

Fauno, Vitor Brecheret, Trianon, março 2013 (10)

Fauno, Vitor Brecheret, Trianon, março 2013 (11)

Fauno, Vitor Brecheret, Trianon, março 2013 (12)
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Victor Brecheret, links

01. Brecheret, Victor (1894 – 1955), Enciclopédia Itaú Cultural
02. FUNDAÇÃO ESCULTOR VICTOR BRECHERET
……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

links

01. Nascimento de Pã
02. Pã, divindade Grega; Fauno, divindade Romana
03. Procissão em Roma, jovens nus flagelando as mulheres
04. Pã ou Fauno
05. The Great Pan

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

……………………………………………………………………………………………………………………………………………

Música

fauno, Victor Brecheret, déc. 20, Google

fauno, Victor Brecheret, déc. 20, Google

fauno, Victor Brecheret, déc. 20, Fotos Rômulo fialdini e Horst Merkel,  Google (2)

fauno, Victor Brecheret, déc. 20, Fotos Rômulo fialdini e Horst Merkel, Google (2)

fauno, Victor Brecheret, déc. 20, Fotos Rômulo fialdini e Horst Merkel,  Google (3)

fauno, Victor Brecheret, déc. 20, Fotos Rômulo fialdini e Horst Merkel, Google (3)


******************************************************************************************************************************************************************************************************************

01. A Flauta de pã, Claude Debussy

02. Prélude à l’après-midi d’un Faune, Claude Debussy

03. Pan, de Mauricio Kagel

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Fauno, Centauro, Minotauro

Faun Revealing a Sleeping Woman (Jupiter and Antiope, after Rembrandt) 1936 by Pablo Picasso 1881-1973

Faun Revealing a Sleeping Woman (Jupiter and Antiope, after Rembrandt) 1936 by Pablo Picasso 1881-1973

Picasso tem dezenas de desenhos e pinturas cujo tema é o Fauno e em muitos aparece a flauta de Pan
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Casa do Fauno, Pompéia

Deus Fauno, dançando

Deus Fauno, dançando

MOSAICO-NA-CASA-DO-FAUNO-POMPEIA

MOSAICO-NA-CASA-DO-FAUNO-POMPEIA

links

01.Casa do Fauno, Wikipédia
………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

outras imagens

pan_daphnis

pan_daphnis

PABLO-PICASSO-CABEZA-DE-FAUNO-1

PABLO-PICASSO-CABEZA-DE-FAUNO-1

pan, Joseph Sattler

pan, Joseph Sattler


Chácara dos Sonhos I

25/02/2013

Justicia Vermelha. Foto Mário Martins de Lima

002-Qual será o nome

Justicia Vermelha. Foto Mário Martins de Lima

003 (1)-Qual será o nome

Justicia Vermelha. Foto Mário Martins de Lima

004 (1)- Qual será o nome

Justicia Vermelha. Foto Mário Martins de Lima

Quem sabe o nome dessa planta? Estou montando minha chácara dos sonhos. Online, claro. Espero ganhar na loteria, e jogo continuadamente, com este objetivo estou selecionando já as plantas. Se eu nunca ganhar na loteria vou montando este jardim online, como faço com fotos e desenhos eróticos. Para sonhar.
Planta que atrai beija-flores. Informação fundamental para a Chácara dos Sonhos. Essa chácara terá uma grande área para as plantas dos beija-flores. E que vale a natureza sem os pássaros?

Natural da Venezuela. Acho que não é uma das chamadas plantas invasoras já que foi difícil saber o nome dela. Gostaria de ter plantas nativas com essa beleza. Beleza é fundamental em qualquer jardim. Aqui é necessário ser politicamente incorreto. Existe uma planta com o mesmo nome, Justicia vermelha brasiliana. Mas como na propaganda, as misses são da venezuela.

Essas mesmas páginas da internet, lincadas acima, dizem que florescem na primavera. As fotos foram tiradas, hoje, 25/02/2013. Verão. Seria bom para os beija-flores que florescessem também no verão.

Justicia vermelha (Megaskepasma erythrochlamys) (1)

Justicia vermelha (Megaskepasma erythrochlamys) (1). Acabei de encontrar fuçando no Google

Justicia vermelha (Megaskepasma erythrochlamys) 2

Justícia vermelha, camarão vermelho, capota vermelha, esses são um dos nomes populares para este arbusto grande, semi lenhoso, nativo da Venezuela, de 3 a 5mt de altura, muito ramificado.


futebol NAVARRO

08/09/2012

futebol NAVARRO (8)
Upload feito originalmente por Jornal do Porão

Fotos de uma edição fac-similar que se encontra no Arquivo Edgard Leuenroth. Há informações de que o acervo original do pintor que se econtra no seu Estado de orgime, está desorganizado, portanto sem condições de saber ao certo o seu estado de conservação.

Não sei julgar o valor artístico de tais desenhos. Mas para quem gosta de futebol, parece que registrou movimentos bastante elegantes do esporte. Acho os desenhos muito mais expressivos que foto e isso já vale a pena divulgar aqui.

NOTA DE MAIO DE 2012
Até este mês de 2012 só 2 pessoas leram tal post. Inacreditável.
Seguindo as regras que este blog se impôs, está sendo republicada neste 08 de setembro de 2012.

Mário Martins de Lima

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

frases sobre futebol

1 . “Muitas vezes é a falta de caráter que decide uma partida.
Não se faz literatura, política e futebol com bons sentimentos…”
(Nelson Rodrigues – dramaturgo, jornalista, escritor e principalmente tricolor)

2. “Bola de futebol…é um utensílio semivivo, / de reações próprias como bicho, / e que, como bicho, é mister / (mais que bicho, como mulher) / usar com malícia e atenção / dando aos pés astúcias de mãos.”
(João Cabral de Mello Neto – foi um poeta e diplomata brasileiro)

3 . “Homens amam mais futebol do que mulheres ??? Eu nunca vi um cara que tenha trocado de time, nem cobiçado o time do amigo alheio… ???”
(Bárbara Coré)

4. “O que finalmente eu mais sei sobre a moral e as obrigações do homem devo ao futebol…”
(Albert Camus -Escritor e goleiro na juventude)

5.já em sua Paulicéia desvairada (1922) refere-se a um
domingo em que o futebol mobiliza a cidade:
“Hoje quem joga?… O Paulistano
Para o Jardim América das rosas e dos
pontapés!
Friedenreich fez goal! Corner! Que juiz !
Gostar de Bianco? Adoro. Qual Bartô…
E o meu xará maravilhoso!…
– Futilidade, civilização…”
(link 02)

Uma música e tanto de um conjunto pelo qual não me interesso, feita por uma São Paulino (Nando Reis), logo um cara que não gosta realmente de futebol.
……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Os Zagueiros.

Futebol também tem zagueiros craques. Saudade de Gamarra. E quem viu Franz Anton Beckenbauer jogar. Sutil, elegante e cabeça erguida.

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Meio-de-campo. 

A politicagem consagrou o termo para um cara capaz de enrolar todo mundo. O mesmo que ter jogo-de-cintura. Só que Afonsinho, um meio-campista  no futebol, e craque, não soube fazer isso na política e se danou. Era também médico, como Sócrates,  e gritou pela liberdade no período mais duro da ditadura militar.

Afonsinho, o primeiro jogar a questionar a lei do passe, em meio a ditatura militar, onde nada podia ser questionado. O primeiro que vi jogando, usando barba longa. E naqueles anos terríveis usava sua profissão e sua fama para questionar a falta de liberdade. Foi massacrado e esquecido. Apesar de um grande jogador. Gilberto Gil fez essa homenagem. Pouco pelo que Afonsinho significou.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

links

01. frases sobre futebol

02.O descobrimento do futebol:
modernismo, regionalismo e paixão esportiva em José Lins do Rego Futebol no modernismo


O Milagre da Pintura, Rubem Braga

28/08/2012

Almada Negreiros, HOMENAGEM A LUCCA SIGNORELLI(1942).

Este braço levantado é o mesmo gesto a que volto, procuro e desgraçadamente achei em carne. Tudo poderia ser apenas uma pintura. Mas, para minha alegria dor e muito desespero, fotografei estes braços e um corpo parecido de uma mulher tão sedutora quanto. E olha para a pintura e olho para a foto. Como pode me acontecer tal mágica. E tal flagelo. Como a pintura e a vida podem conspirar para religar-nos à vida, à paixão mais juvenil e inatingível, como nos meus nove anos perdidamente apaixonado pela minha professora. A mesma paixão avassaladora e ridícula. A mesma distância. A mesma insensatez.
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………


Erik Satie é um compositor irreverente, quase satírico, compromissado com o riso. Que dessacralizou a música clássica, misturando Ragtime, Jazz e Can-can. No entanto pus aqui um “Jour Triste”.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

O quadro, a menina da minha cidade ficam cada vez mais nítidos, mais obsessivos, mais fundidos. A professorinha é uma nebulosa, como são muitos quadros, cuja nitidez foi embora, mas impõem, avassaladoramente, sua presença. Aqui também a pouca nitidez das feições impõe a ditadura do gesto que nocauteia. E permite esta fusão entre ficção e realidade. E tudo vira ficção pela força desta mesma fusão. E nesta alegria tão triste que amei, clandestinamente até agora,e ainda amo, este ridículo. E tive que confessá-lo aqui, talvez para suportá-lo, já que o tempo não meu deu qualquer refresco. Voltar a folhear os livros de reproduções, momentaneamente, dá para distinguir entre quadro e foto. E dá para escapar, momentaneamente, desta ficção mais potente que qualquer realidade. Sempre contraditei, monologando, Elis Regina quando cantava que “viver é melhor que sonhar”. Tudo bem, pode ser melhor para suportar a vida. Mas quem desgoverna é o sonho.
Eu não sei qual distância é maior. Um velho amar a menina da sua cidade, ou ficar velho, anos pós anos, amando o mesmo gesto e o mesmo corpo numa pintura azul, amarela, magenta e verde. Tão irreal quanto os amores absurdos. E tão inescapável. Concordo que é tolice. Coisa de Dom Quixote, ou uma Beatriz de Dante que ele só viu, uma vez, na janela e amou até a eternidade. Amo também os amores juvenis e tolos de Romeu e Julieta. Vê-se que é um caso perdido.

Almada Negreiros é um vanguardista português do início do século XX. Mas eu tinha vergonha de amar tão sexualmente uma pintura. E minha sentia retrógrado em amar um quadro não muito vanguardista de um pintor de vanguarda.
Deu vontade de cair na gandaia. Beber, fumar, vícios que não tenho. E me lembrei da crônica de Rubem Braga, O Mistério da Pintura. Reli e sabia que ia aumentar minha angústia.
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Biblioteca Mário, I-010.001. Rubem Braga.

“Deixo-me o quadro com inocência, recebo a sua revelação virgem como se fosse um bela desconhecida, que apenas achamos digna e triste, ou leve e tímida, sem sequer poder dizer a forma do seu nariz ou a cor de seus cabelos”.

“…é a pintura que me apazigua e me faz sonhar. Sou, entretanto, um viciado quase grosseiro…”

E de repente tenho pena de tantos pintores que se agarram a teorias e escolas, do concretista apaixonado ou apenas acompanhador da moda que se proíbe a delícia que lhe poderia causar uma figura ou uma paisagem, do neo-realista para quem fica sendo um pecado gostar de uma composição abstrata – de todos os que amputam, por causa de teorias do momento, de paixões estranhas à arte, à própria sensibilidade e limitam sua alegria íntima nesse mundo maravilhoso da pintura. Mundo maravilhoso do qual sempre voltamos com um respeito maior pela dignidade humana, um respeito por esta pobre coisa, o indivíduo que permanece fiel a si mesmo e procura contar sua tristeza, sua maravilha ou sua ânsia de infinito”. Rubem Braga, Um Cartão de Paris, Ed. Record.
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………