DENTRO DA CHUVA AMARELA, William L.

.Dentro da Chuva Amarela, William L.

O Estado de Minas, 07/05/2000 “Livro sobre doença que afeta mais de um milhão de brasileiros ” . William L. pseudônimo de Walther Moreira Santos

Hoje Sou Alice, capa

E os milhões no mundo inteiro. Reféns da indústria farmacêutica. Abandonados, despedidos, desempregados, marginalizados e doentes. Quando li este Alice fiquei emocionado e estou até hoje, dois anos depois. Vou reler. Mesmo que não seja alta-literatura. Nem só de biscoitos finos vivem os homens.

Dentro da Chuva Amarela, ficha
O olhar na montanha de livros do sebo, em promoção de 5 reais, foi para a capa. A da nova edição não me levaria para Van Gogh, o que me fez pegar o livro. Vi logo que tinha um quê de auto-ajuda. E desde que apareceu Paulo Coelho que fiz um juramento de nunca ler um livro de auto ajuda. Mas o tema anunciado na capa me faria comprar qualquer livro se fosse barato. O título me cativou. Não resisto a um bom título. E o título mexeu com algo e misturou-se com a loucura de Van Gogh do sol amarelo da capa. Vacilei por cheirar a abominável auto-ajuda. Mas o sub-título: “Memórias de um maníaco depressivo”. Tento também resistir, em vão, a comprar livros de depoimentos. Li a primeira página e achei que era um grande escritor desconhecido. Li o livro hoje mesmo. Foram 4 ou 5 horas que me fez ter acesso às agruras do doente mental no Brasil.

Aqueles 1 milhão e meio de maníacos-depressivos não sei se beneficiarão do livro, se realmente será um ajuda. Mas para mim, na ânsia, incontrolável de querer acessar as dores de toda a humanidade, valeu a pena.
Depois fui ver, na internet, que o Walther Moreira Santos é um escritor de 26 livros e alguns prêmios. Aprendi algo com a narrativa em primeira pessoa. Me horrorizei com a indigência dos médicos. Sei que o autor riu, mas me penalizei com sua peregrinações por várias medicinas alternativas e charlatões. E tive a felicidade de saber que continua vivo e escrevendo 25 outros livros, convivendo com uma doença tal maltratada e mau tratada.
Com milhares de coisas para ler e ouvir, tenho dúvidas que vou comprar ler algum outro livro dele. Mas se encontrar no sebo, talvez não resista. Nunca resisto a livros baratos. Mais difícil ainda resistir a uma capa e a um título como Dentro da Chuva Amarela.
E o livro é convincente. E ajuda a compreender um pouco do sofrimento de 1 milhão e meio de brasileiros abandonados à própria desventura. E me emocionei o tempo todo. E meu impulso é ler mais. E sei, e como sei, que só aumentará minha impotência diante das tragédias que assolam a humanidade. Ler não deixa de ser uma fuga. Sabemos, qualquer um sabe, que os muitos milhões de doentes mentais, talvez uns 40 milhões só no Brasil, ficarão com seu sofrimento, suas tentativas de suicídio, seus suicídios, a família será destruídas por dores e mais dores; e pouco, muito pouco será feito. A sociedade capitalista precisa descartar estes milhões de seres improdutivos. Pura e simples eugenia. E a sociedade individualista tem horror a se envolver com seres que carregam dor e delírios. E os reformadores e revolucionários são tão poucos e são tantos os problemas que… o que valem 1 milhão e meio de maníaco depressivos que são incuráveis. E os depressivos, bem provavelmente, não tem muito ânimo para lutar. Se maníaco deliram. Além de tudo, fora da medicação, qualquer tratamento é muito caro, inacessível a qualquer trabalhador, até mesmo a grande parcela da classe média. A indústria farmacêutica fica muito feliz com esta dolorosa estatística.capa de  O Tempo e o Cão
Diz Maria Rita Kehl, no seu livro O Tempo e o Cão, que nos Estados Unidos doenças como a depressão cresceu 5% em 10 anos; mas no Brasil, sem estatítica, apela-se para o crescimento da venda de antidepressivos. Pasmem!: cresce a 22,5 por cento ao ano, ou seja, a cada 5 anos a venda de antidepressivos no Brasil cresce mais de 100 por cento. (as cifras dos Estados Unidos tenho que conferir, mas do Brasil tenho total certeza, até pela sua grandeza e descalabro). O horor, o horror, o silencioso horror.

Por isso a dor de todos Willim L. é uma dor fadada aos subterrâneos, silenciosa. O livro comove, mas as vítimas são quase invisíveis. E assim continuarão.
…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

links

Print Capa Dentro da Chuva.qxd

01. Livro propõe ´alta-ajuda´ para bipolar, Mundo News
02. Entrevista com Walther Moreira Santos
03. Blog do autor

O Estado de Minas, 07/05/2000

“Livro sobre doença que afeta mais de um milhão de brasileiros vai ser adaptado para o teatro por Marcelo Rubens Paiva”.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: